Com o aumento expressivo no número de casos de coronavírus, o toque de recolher em Campo Grande passou a começar às 20 horas desde a última quarta-feira (8). Com a chegada do fim de semana, muita gente ainda tem dúvida sobre o que pode e o que não pode funcionar depois do horário.

Para os trabalhadores, o comércio deve fechar até as 20 horas, mas não é preciso se desesperar. Os funcionários têm tempo para chegar em casa com tranquilidade, já que os ônibus continuam circulando até as 21h30 na Capital – depois deste horário, só entram no veículo os trabalhadores do serviço essencial, como saúde, farmácias e supermercados. 

Para quem está interessado em compras, é preciso ficar atento ao horário de funcionamento dos shoppings da Capital. Com a mudança no toque de recolher, os três shoppings passam a funcionar somente até as 19 horas.

No caso de quem está ansioso pelo ‘sextou’ em bares e restaurantes, os locais só podem ficar abertos até as 20 horas. Ainda de acordo com o decreto, música ‘voz e violão’ está limitada à apresentação de, no máximo, duplas, e poderá ocorrer em bares e restaurantes, desde que “respeitado o toque de recolher, sendo vedada em tabacarias, lojas de conveniência, casas noturnas, boates, casas de shows e espaços de eventos”.

Uma alternativa interessante para quem quer aproveitar o fim de semana com a refeição de um restaurante são os serviços de delivery. Alguns bares também contam com o serviço de entrega. Neste caso, não é preciso antecipar o horário do jantar, os entregadores podem circular nas ruas de Campo Grande independente do toque de recolher. 

Todo tipo de comércio que atenda ao público, incluindo academias e igrejas, terão que funcionar com lotação máxima de 40% de sua capacidade, anteriormente, era 60%. Seguem proibidas festas, eventos e reuniões que gerem aglomeração de pessoas, como eventos esportivos, campeonatos, “bem como compartilhamento de objetos, inclusive narguilés e tererés”.

Mercados, postos de combustíveis, farmácias e serviços de saúde não precisam fechar às 20 horas e podem funcionar em horário estabelecido em seus alvarás de localização e funcionamento.

E quem desobedece o toque de recolher? 

Caso as regras sejam desrespeitadas, a pessoa ou estabelecimento pode responder civil, administrativamente e criminalmente, “podendo responder por crimes contra a saúde pública e contra a administração pública em geral”. Vale lembrar que a medida tem duração de 12 dias e, no próprio decreto, a Prefeitura esclarece que o regramento pode mudar, de acordo com a situação epidemiológica dos próximos dias.

(colaborou Mayara Bueno)