Cotidiano

Sem aviso prévio, ônibus deixa passageiros ‘na mão’ e trabalhadores demoram mais de 2h para chegar em casa

Situação recorrente em Campo Grande, a interrupção de linhas de ônibus na cidade volta a causar transtornos a passageiros. Dessa vez, trabalhadores que saíam do Shopping Campo Grande, na noite de sábado (26), ficaram sem conseguir embarcar na linha 516-2, que liga o terminal Hércules Maymone ao Bairro Maria Aparecida Pedrossian. Alguns chegaram a demorar […]

Gabriel Maymone Publicado em 27/12/2020, às 08h45 - Atualizado em 28/12/2020, às 10h00

Ônibus que fazia a linha 516-2 deixou trabalhadores do Shopping Campo Grande 'na mão'. (Foto: Fala Povo / Midiamax)
Ônibus que fazia a linha 516-2 deixou trabalhadores do Shopping Campo Grande 'na mão'. (Foto: Fala Povo / Midiamax) - Ônibus que fazia a linha 516-2 deixou trabalhadores do Shopping Campo Grande 'na mão'. (Foto: Fala Povo / Midiamax)

Situação recorrente em Campo Grande, a interrupção de linhas de ônibus na cidade volta a causar transtornos a passageiros. Dessa vez, trabalhadores que saíam do Shopping Campo Grande, na noite de sábado (26), ficaram sem conseguir embarcar na linha 516-2, que liga o terminal Hércules Maymone ao Bairro Maria Aparecida Pedrossian.

Alguns chegaram a demorar mais de 2 horas para chegar em casa, num trajeto que leva cerca de 30 minutos. É o caso de Jéssica Araújo, funcionária de uma loja do shopping. Ela relata que essa não é a primeira vez que a situação ocorre. “Mais uma vez passei por essa situação. Passou todas as linhas, menos a do 516-2, deixando um monte de trabalhadores cansados, sem ter como ir para casa”, reclamou a jovem, que sai às 22h do serviço.

O site do Consórcio Guaicurus informa que o ônibus que faz a linha 516-2 deveria passar no Peg-fácil do Shopping Campo Grande por volta das 22h48. Entretanto, como isso não aconteceu, os trabalhadores precisaram seguir por outra alternativa. “Tive que ir para o Centro pegar o ônibus especial, junto com todos que utilizam a linha 516-2”, lamentou.

“São pessoas de bem que não tem como ir pra casa que e nem informação recebem do porquê o ônibus não passou”, diz Jéssica Araújo, trabalhadora no Shopping Campo Grande.

Conforme a funcionária, a situação já foi levada para o Consórcio Guaicurus, “fica um mês com o ônibus de boa e depois esquecem da gente”, comenta.

Tem reclamação? Fale com os jornalistas do Midiamax pelo WhatsApp

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax