Cotidiano

Sem aula, pais buscam alternativas para cuidar dos filhos: ‘Está com a bisavó’

A pandemia de Covid-19, o novo coronavírus, causou a suspensão das aulas nas escolas municipais, algumas escolas particulares e também nas universidades de Campo Grande. A medida pegou os pais de surpresa e eles estão tendo que buscar alternativas para cuidar dos filhos. Adriely Calixto tem uma filha de 6 anos e, como última opção, […]

Mariane Chianezi Publicado em 17/03/2020, às 14h40 - Atualizado em 18/03/2020, às 08h07

Foto: Arquivo
Foto: Arquivo - Foto: Arquivo

A pandemia de Covid-19, o novo coronavírus, causou a suspensão das aulas nas escolas municipais, algumas escolas particulares e também nas universidades de Campo Grande. A medida pegou os pais de surpresa e eles estão tendo que buscar alternativas para cuidar dos filhos.

Adriely Calixto tem uma filha de 6 anos e, como última opção, tem preciso deixar a criança com a bisavó, de 72 anos. A auxiliar administrativa disse que trabalha durante o dia, pois não foi dispensada perante a pandemia, e a noite faz faculdade. Nesse tempo, a menina fica com o pai, que tem horários mais flexíveis.

No entanto, quando necessário, a menina precisa ficar aos cuidados da bisavó. Adriely reconhece que a idosa está no grupo de risco da doença devido à idade e por conta dos problemas respiratórios, mas que no momento, a alternativa foi essa.

“Não é o mais correto visto que a bisavó dela está bem velhinha já, mas foi a solução de emergência que encontramos. É melhor a gente se virar agora e ela ficar em casa do que contrair o vírus na escola”, pontuou Adriely.

A auxiliar administrativa conta que não está criando motivo para pânico, mas destaca que passou da hora para que as pessoas possam se prevenir contra o coronavírus. “Temos que evitar sair de casa o máximo que puder. Para quem trabalha, sei que é difícil, até mesmo porque eu também trabalho, mas o que pudermos fazer, temos que fazer”, disse.

Apesar de ainda estar mantendo o filho indo para a escola, Regiane Augusto Bruno, de 27 anos, diz que se uma eventual suspensão das aulas, não teria onde e nem com quem deixar o menino, de 4 anos.

“Ele estuda em escola particular e a diretora de lá tem orientado os pais para darem vitamina C e nós também estamos providenciando álcool em gel para mandar com eles. Se não tivesse aula, não sei o que eu faria, porque não teria com quem deixar”, disse Regiane. O menino tem bronquite asmática e está se recuperando de uma gripe, assim como a mãe.

Jornal Midiamax