Cotidiano

Saúde investiga se índia morreu por coronavírus na aldeia Bororó em MS

Mato Grosso do Sul pode ter a primeira morte por coronavírus na Reserva Indígena.  O Dsei-MS (Distrito Sanitário Especial Indígena investiga o caso de uma mulher de 58 anos que apresentou os sintomas da doença e veio a óbito neste sábado (30). Segundo informações apuradas  pelo Jornal Midiamax, trata-se de uma moradora da aldeia Bororó, […]

Marcos Morandi Publicado em 30/05/2020, às 20h31 - Atualizado às 22h32

(Foto: Marcos Morandi/Arquivo Midiamax)
(Foto: Marcos Morandi/Arquivo Midiamax) - (Foto: Marcos Morandi/Arquivo Midiamax)

Mato Grosso do Sul pode ter a primeira morte por coronavírus na Reserva Indígena.  O Dsei-MS (Distrito Sanitário Especial Indígena investiga o caso de uma mulher de 58 anos que apresentou os sintomas da doença e veio a óbito neste sábado (30).

Segundo informações apuradas  pelo Jornal Midiamax, trata-se de uma moradora da aldeia Bororó, onde está concentrado o maior número de casos, que estava internada no Hospital da Vida.

O teste em relação ao caso foi realizado na sexta-feira (29), mas só deve ficar pronto na próxima segunda-feira (01). Entretanto, o sepultamento teria sido feito rapidamente e dentro dos procedimentos orientados pela OMS (Organização Mundial de Saúde), sem velório e com caixão lacrado.

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pelo Dsei- MS, neste sábado (30), até agora foram confirmados 76 casos de coronavírus nas reservas de MS, sendo 74 só nas aldeias de Dourados e dois na Reserva de Caarapó.

Em Dourados já foram registrados 251 casos, segundo dados do Comitê de Gerenciamento de Crise do Coronavírus. Desse total, 177 estão em isolamento domiciliar.

Jornal Midiamax