Cotidiano

Chuvas fortes alagam ruas e deixam estragos em cidade de MS

A previsão meteorológica havia alertado para chuvas intensas na última terça-feira (4) e a cidade de Terenos, distante a 31 quilômetros de Campo Grande, foi uma das atingidas pela intensidade que deixou algumas ruas e bairros consternados com a situação de alagamento. A correnteza que se formou com o aguaceiro fez com que alguns moradores […]

Vinícius Costa Publicado em 05/02/2020, às 14h42 - Atualizado em 06/02/2020, às 08h34

(Foto: Márcio Leal)
(Foto: Márcio Leal) - (Foto: Márcio Leal)

A previsão meteorológica havia alertado para chuvas intensas na última terça-feira (4) e a cidade de Terenos, distante a 31 quilômetros de Campo Grande, foi uma das atingidas pela intensidade que deixou algumas ruas e bairros consternados com a situação de alagamento.

A correnteza que se formou com o aguaceiro fez com que alguns moradores ficassem do lado de fora de suas residências temendo pelo alagamento. O nível da água teria elevado além do normal em demais localidades.

Devido a força da água, as tampas da rede de água pluvial que se concentravam nas avenidas ficaram flutuando por 1,5 metro, mesmo com o material sendo pesado, de acordo com a página O Terenense News. “Não aguentamos mais essa situação, toda vez que chove principalmente no período noturno, todos aqui ficam aflitos com medo de que a água invada nossas casas”, disse uma morada a página.

Chuvas fortes alagam ruas e deixam estragos em cidade de MS
Moradores enfrentaram ruas alagadas. // Foto: Divulgação

Estragos em Água Clara

Os moradores da cidade de Água Clara, a 193 km de Campo Grande, passaram por momentos de desespero na tarde desta quarta-feira (5). A chuva atingiu a cidade, que causou alagamentos em diversas ruas e gerou medo na população. Nesta quarta-feira (5), o cenário é de estragos, causados principalmente no asfalto da cidade.

O coordenador de Defesa Civil de Água Clara, Ricardo Faustino Silva, afirma que ainda não há nenhuma família desabrigada. A Defesa Civil faz levantamento nas áreas mais atingidas nesta quarta-feira (5).

Jornal Midiamax