Cotidiano

Procon: 59% dos campo-grandenses pretendem comprar presentes on-line para Dia dos Namorados

O Procon-CG (Subsecretaria de Orientação e Defesa do Consumidor de Campo Grande) divulgou nesta segunda-feira (8) a pesquisa de pretensão em compras para o Dia dos Namorados na Capital. Cerca de 59% dos campo-grandenses pretendem comprar on-line por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).   Conforme o órgão, foram entrevistados 100 consumidores maiores de 18 anos, […]

Karina Campos Publicado em 08/06/2020, às 16h40 - Atualizado em 10/06/2020, às 16h00

Leonardo França, Midiamax
Leonardo França, Midiamax - Leonardo França, Midiamax

O Procon-CG (Subsecretaria de Orientação e Defesa do Consumidor de Campo Grande) divulgou nesta segunda-feira (8) a pesquisa de pretensão em compras para o Dia dos Namorados na Capital. Cerca de 59% dos campo-grandenses pretendem comprar on-line por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). 

Conforme o órgão, foram entrevistados 100 consumidores maiores de 18 anos, via telefone, entre o dia 2 a 6 de junho, com questionamentos de 11 perguntas sobre as pretensões de compras para a data.

O balanço revelou que 58% dos consumidores irão presentear, 39% acreditam que não e apenas 3% ainda não decidiram. Desses, 32% irão comprar roupas; 26% acessórios, como bolsas, relógios, joias, e etc;  9% outros; 8% produtos de cosméticos; 6% calçados; 5% livros; 3% bebidas; 3% flores; e 2% eletrodomésticos.

Dos que irão presentear, 53% consideram os preços mais caros em comparação ao ano passado, contra 28% que acredita e média de preço a mesma e 19% não. Além disso, 41% dos consumidores pretendem gastar até R$ 100; 43% entre R$ 100 até R$ 200; 14% de R$ 200 a R$ 500; e apenas 2% irão gastar até R$ 50. 

A pesquisa também aponta que a maior parte dos consumidores irão gastar menos do que gastaram no ano passado, sendo 31%. Também levando em consideração o atual cenário, 59% irão comprar por plataformas on-line e 41% em lojas físicas. Os locais mais procurados serão: shoppings (21%), internet (21%), comércio popular (15%), lojas de bairro (15%), revendedora de cosméticos (13%), outros 15% ainda não decidiram. 

Jornal Midiamax