Decreto divulgado nesta quarta-feira (29) prorroga a suspensão das aulas presenciais das escolas municipais até 7 de setembro, mesma medida adotada pelo Governo de Mato Grosso do Sul. O aumento de casos de coronavírus na Capital impede o retorno dos estudantes às salas de aula.

Parados desde março, os alunos receberam atividades online e aulas virtuais ao longo do tempo. O Estado, na edição de terça-feira (28) do Diário Oficial, tinha recomendado que instituições públicas dos municípios, além das particulares, adiassem o retorno presencial.

Com desrespeito às regras de boa parte da população, hospitais estão lotados de pacientes com Covid e outras enfermidades. Restrições no comércio e circulação de pessoas, inclusive com previsão de regras sobre venda de bebida alcoólica também, devem continuar na medida em que os casos da doença aumentam.

Segundo o decreto do Executivo estadual, foi levada em consideração recomendação do Centro de Operação de Emergência do Estado e do Comitê Gestor do Programa de Saúde e Segurança da Economia, o Prosseguir.

Estudo matemático elaborado por professores da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) aponta que o pico do coronavírus, que causa a Covid-19, será no dia 10 de agosto no Estado, daqui 13 dias. Já para Campo Grande, a estimativa dos pesquisadores, baseados em modelos matemáticos, é de que o crescimento continue até o dia 23 de setembro, quando a Capital pode bater os 86.325 casos.

O Estado está com 22.443 confirmações e 328 óbitos, segundo boletim divulgado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) na terça-feira (28). O decreto que suspende as aulas pode ser conferido clicando aqui, na página 13.