A Procuradoria Geral da Prefeitura de Dourados entrou com pedido de  arquivamento da Ação Civil Pública Cível do MPMS (Ministério Público Estadual)  que aponta falta de leitos de UTI (Unidades de Terapia Intensiva) para pacientes diagnosticados com coronavírus na cidade.

Na defesa apresentada nesta quinta-feira (9), procurador geral do município, Sérgio Henrique Pereira Martins de Araújo, conforme já havia adiantado na terça-feira (6), contestou o procedimento do MPMS.

Segundo o procurador, “a administração tem demonstrado que vem cumprindo todas as medidas necessárias para implementação das medidas contidas na presente demanda” e que,  na verdade,  existe uma série de pontuações feita pelo MPMS que estão em desacordo com o que realmente está sendo feito pelo município.

No entendimento da procuradoria do Município, “os leitos ocupados são diariamente informados, sendo que a comunicação trazida como exemplo, em que deu diferença entre a contagem do Município e do relatório de vistoria do Estado, de 14 de junho de 2020, aconteceu porque o Município informa a internação conforme a confirmação do caso, qualificando-os como suspeitos ou confirmados”.

“O município já usou toda a estrutura de leitos. Nós estamos,  inclusive, com dificuldades em alguns leitos abertos porque não há profissional na área. Então nós temos aqui dificuldades do ponto de vista físico e não do ponto de vista administrativo. Há questões de força maior”, explicou  Sérgio Henrique durante conversa com a reportagem do Midiamax.