Cotidiano

Prefeitura de Campo Grande fecha convênio para receber lixo de Figueirão

As prefeituras de Campo Grande e de Figueirão fizeram um convênio para que a CG Solurb Soluções Ambientais, que faz a coleta de lixo na Capital, receba os resíduos sólidos e os mande para o aterro sanitário do Dom Antônio Barbosa. Assinado em 25 de outubro passado, mas divulgado nesta sexta-feira (3), o contrato vai […]

Mayara Bueno Publicado em 03/01/2020, às 10h22 - Atualizado às 10h24

(Foto: Arquivo/Midiamax)
(Foto: Arquivo/Midiamax) - (Foto: Arquivo/Midiamax)

As prefeituras de Campo Grande e de Figueirão fizeram um convênio para que a CG Solurb Soluções Ambientais, que faz a coleta de lixo na Capital, receba os resíduos sólidos e os mande para o aterro sanitário do Dom Antônio Barbosa.

Assinado em 25 de outubro passado, mas divulgado nesta sexta-feira (3), o contrato vai até 31 de julho de 2020. Campo Grande vai cobrar, a cada tonelada depositada, R$ 135,94. Não foi informada a média coletada em Figueirão.

Em 3 de outubro, a Prefeitura da Capital divulgou dois extratos semelhantes com os executivos municipais de Terenos e Rio Negro, também para receber o lixo recolhido nestas cidades. O preço estipulado foi de R$ 135,90. Em ambos casos, os contratos têm vigência de 7 de agosto deste ano até 31 de julho de 2020.

O convênio foi assinado pela Agereg (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos), Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura), Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana) e a CG Solurb Soluções Ambientais, além das prefeituras dos municípios.
Em 2019, o secretário de Infraestrutura, Rudi Fioresi, explicou que os contratos preveem que os municípios apenas ‘deixem’ o lixo no aterro, mas a coleta continua sendo responsabilidade deles. As cidades menores, explica, geralmente não têm aterros próprios e, por isso, firmam convênios com Campo Grande.
Jornal Midiamax