Na falta de eventos, decoradores de festas se reinventam em Campo Grande

De uma hora para outro cessaram as festas, os locais ficaram vazios e assim como todos os setores, as empresas e decoradores de festas tiveram que encarar os cancelamentos e reagendamentos dos clientes em Campo Grande. A solução foi investir em melhorias e em novas ideias para sobreviver durante a pandemia do coronavírus. A paralisação […]
| 22/09/2020
- 11:28
Na falta de eventos, decoradores de festas se reinventam em Campo Grande
Imagem ilustrativa. (Foto: Leonardo de França, Jornal Midiamax) - Imagem ilustrativa. (Foto: Leonardo de França, Jornal Midiamax)

De uma hora para outro cessaram as festas, os locais ficaram vazios e assim como todos os setores, as empresas e decoradores de festas tiveram que encarar os cancelamentos e reagendamentos dos clientes em Campo Grande. A solução foi investir em melhorias e em novas ideias para sobreviver durante a pandemia do .

A paralisação das festas, nesses últimos meses, rendeu para a decoradora Elizangela Belchior cinco casamentos cancelados. “Apertou muito”, disse ela, que também tem uma loja de locação de decoração.

Segundo Elizangela, alguns clientes não pagaram e muitos reagendaram as festas para o ano que vem. “As festas de 15 anos serão de 16 anos”, contou ela, que até preparou uma decoração na residência da debutante para fotografar, mas a comemoração será no ano que vem.

Eventos liberados

Nesta semana, a prefeitura de Campo Grande liberou os eventos, mas com algumas regras, como a capacidade em 50% do total e sem pista de . Para a decoradora, esta liberação não é tão animadora. “As noivas querem tudo que elas têm direito e agora ainda existem as restrições”, comentou ela com o Jornal Midiamax.

Porém, para o empresário Anselmo Toledo, a liberação foi encarada como uma notícia boa, pois ele trabalha com festas pequenas, de 10 a 50 pessoas. “Festas desse porte você pode fazer em residências e restaurantes e são mais agradáveis”, comentou ele.

Toleto teve dificuldades por conta da pandemia, mas que com a publicação do decreto as pessoas já começaram a procurar por esse tipo de evento. “Depois de seis meses parado”, comemorou. Apesar de ter o árduo trabalho de reorganizar todo o planejamento, o empresário aproveitou para fazer cursos online e se qualificar durante a pandemia.

Loja online

Já uma decoradora, que preferiu não ser identificada, disse não ter tido tanto prejuízo durante os últimos meses. Os casamentos e festas de 15 anos marcados foram todos reagendados e a procura pelos serviços aumentou.

“Elas procuram, mas não fecham negócio ou marcam para o ano que vem”, disse ao Jornal Midiamax. Para ela, o decreto também não é tão animador. “[O decreto] está aí, mas com muitas restrições”, opinou ela.

Porém, as vendas em sua loja virtual de cestas decoradas apresentaram aumento. “Minhas vendas triplicaram”, revelou. “Eu já tinha ela há anos, mas durante a pandemia eu abri uma de cestas personalizadas, que é a primeira em Campo Grande”, continuou ela.

Veja também

Serão nove dias de celebrações a Nossa Senhora da Abadia envolvendo a comunidade e a história do santuário em Campo Grande

Últimas notícias