Cotidiano

MS tem 40,7 mil infectados e registra quase 700 mortes pelo novo coronavírus

Mato Grosso do Sul registrou 510 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, conforme divulgado nesta sexta-feira (21) no boletim epidemiológico do novo coronavírus. O número, que reflete incremento de 1,3% na curva, resulta em uma média de 21,25 novos casos a cada 24h. A média móvel, que corrige as distorções e ajuda a […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 21/08/2020, às 11h03 - Atualizado às 18h21

Foto: SES | Reprodução
Foto: SES | Reprodução - Foto: SES | Reprodução

Mato Grosso do Sul registrou 510 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, conforme divulgado nesta sexta-feira (21) no boletim epidemiológico do novo coronavírus. O número, que reflete incremento de 1,3% na curva, resulta em uma média de 21,25 novos casos a cada 24h. A média móvel, que corrige as distorções e ajuda a entender melhor redução, aumento ou estabilização dos números, está em 754 infecções por dia, nos últimos 7 dias. Em Campo Grande, a média móvel é 378 no mesmo período.

Com isso, o total de infectados em MS chega a 40.711, com registro total de 696 mortes – 10 nas últimas 24 horas, conforme a SES (Secretaria de Estado de Saúde). O boletim detalha, ainda, que MS já soma 178.355 casos notificados, dos quais 131.884 foram descartados. Há 2.880 amostras em análise no Lacen-MS (Laboratório Central de MS) e parceiros, além de 2.880 casos que ainda aguardam encerramento pelos municípios.

Os novos casos de Covid-19 apresentados hoje estão distribuídos em 37 municípios. Campo Grande lidera com cerca de metade do total, 251 positivos, seguida por Corumbá (38), Dourados (34), Três Lagoas (19), Sidrolândia (17), Aquidauana (16), Miranda (14), Ponta Porã (14) e São Gabriel do Oeste (12). Confira nas tabelas os detalhamentos com os demais registros e retificações.

Quase 700 óbitos em MS

Nas últimas 24 horas foram registrados 10 óbitos, todos ocorridos em agosto. Deste total, 6 foram de residentes em Campo Grande, uma em Corumbá, uma em Dois Irmãos do Buriti, uma em Aparecida do Taboado e uma em Chapadão do Sul. Apenas uma vítima, de 61 anos, não teve relatos de comorbidades ou de fatores de risco. Confira a tabela com os detalhamentos fornecidos pela SES.

Com 696 vítimas, a taxa de letalidade da Covid-19 em MS está em 1,7%. A média móvel de óbitos está em 13 mortes diárias nos últimos 7 dias, com 320 mortes ocorridas neste mês de agosto, contra 286 em julho, 70 em junho, 11 em maio, 8 em abril e uma em março. Em Campo Grande, a média móvel foi de 5,1 mortes diárias no mesmo período, com 122 óbitos registrados em agosto, contra 132 em julho, 5 em junho, 5 em maio e 2 em abril.

MS tem 40,7 mil infectados e registra quase 700 mortes pelo novo coronavírus
Foto: SES | Reprodução

Internados e taxas de ocupação

Dos 40.711 casos confirmados de Covid-19, 6.069 são infecções ativas e 33.946 são casos recuperados. Em isolamento domiciliar, estão 5.534 pacientes e 535 internados, além de 6 outros estados que não integram as estatísticas locais.

Destes internados, 302 estão em leitos clínicos (191 públicos e 111 privados). Outros 239 estão internados em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), dos quais 165 são públicos e 74 privados. Estes números referem-se apenas a casos já diagnosticados.

MS tem 40,7 mil infectados e registra quase 700 mortes pelo novo coronavírus
Foto: SES | Reprodução

Com isso, a taxa de ocupação dos leitos Covid-19 – que considera tanto os casos suspeitos como os confirmados – passa por alteração: em relação aos 744 leitos clínicos adulto públicos disponíveis, 272 estão ocupados (37%). Dos 119 clínicos pediátricos, 7 estão ocupados (6%). Já em relação aos 351 leitos de UTI adulto públicos, 197 estão ocupados (56%). Dos 9 leitos de UTI pediátricos existentes, nenhum está ocupado.

A taxa de ocupação global de leitos de UTI em MS, por macrorregião, apresentou mudanças na região de Campo Grande, que teve o índice calculado em 77% de ocupação, sendo 38% dos 302 leitos de UTI disponíveis da macrorregião estão ocupados com pacientes confirmados da Covid-19, enquanto 5% é com casos suspeitos. Além disso, 42% dos leitos estão ocupados com pacientes com outras enfermidades.

Jornal Midiamax