Cotidiano

Gata pendurada em muro choca cidade de MS e investigadora do caso adota filhote orfão

O caso de uma gata encontra morta, pendurada no muro de uma protetora, chocou a população de Bodoquena, a 260 quilômetros de Campo Grande. Por outro lado, a investigadora Carolina Muniz do Carmo se sensibilizou e adotou um dos filhotes que ficaram órfãos. Além de amar animais, a policial conta que decidiu pela adoção por […]

Gabriel Maymone Publicado em 30/09/2020, às 13h30 - Atualizado em 01/10/2020, às 08h08

Morte de gata chocou até investigadora da Polícia Civil. (Imagem: Reprodução)
Morte de gata chocou até investigadora da Polícia Civil. (Imagem: Reprodução) - Morte de gata chocou até investigadora da Polícia Civil. (Imagem: Reprodução)

O caso de uma gata encontra morta, pendurada no muro de uma protetora, chocou a população de Bodoquena, a 260 quilômetros de Campo Grande. Por outro lado, a investigadora Carolina Muniz do Carmo se sensibilizou e adotou um dos filhotes que ficaram órfãos.

Além de amar animais, a policial conta que decidiu pela adoção por um ato de fé. “Era dia de São Miguel Arcanjo, além de ser o Dia do Policial Civil. Como sou devota de São Miguel, senti que era para eu adotar em nome da minha devoção”, comentou.

A investigadora também se dedica a cuidar de animais em situação de rua. “Gosto de animais, também faço trabalho de cuidar e recolher animais das ruas, que estão abandonados. Vou adotar porque fiquei sensibilizada pelos filhotes que perderam a mãe”, explicou.

Carolina já até escolheu os nomes. “Se for macho vai se chamar Mikael. Se for fêmea, será Mikaela”, adiantou.

Gata pendurada em muro choca cidade de MS e investigadora do caso adota filhote orfão
Gatinha morte deixou três filhotes. Investigadora que trabalha no caso irá adotar um deles. (Foto: Reprodução)

Crime cruel

No mesmo dia em que o presidente Jair Bolsonaro sancionou lei que aumenta pena para maus tratos a animais, o crime chocou moradores de Bodoquena.

“É comum atendermos casos de maus tratos a animais, mas nessa violência toda é a primeira vez”, comentou a investigadora, que também trabalha para encontrar o responsável.

Então, a Polícia Civil iniciou as investigações sobre o caso e vai intimar vizinhos a depor, para tentar encontrar alguma testemunha ou alguém que tenha visto algo suspeito.

Medo

A professora e protetora de animais, Ivone Aparecida Rocco disse que não dormiu essa noite por medo de que o criminoso agisse novamente. “Foi um choque. Não dormi, fiquei preocupada que ele pudesse voltar. Passamos a noite com nossos animais”, lembra.

Gata pendurada em muro choca cidade de MS e investigadora do caso adota filhote orfão
Em destaque, gata ainda viva com demais animais que são assistidos pela professora Ivone. (Foto: Arquivo Pessoal)

O caso deixou Ivone, que é conhecida em toda a cidade pelo trabalho com os animais, com medo. “Entendi que o gato pendurado no meu muro foi um recado para mim”.

Ela conta que apesar de receber apoio de muita gente, várias pessoas a recriminam, pois seu trabalho envolve cuidar de animais “cegos e doentes”.

Ivone acredita que o criminoso estudou o local e planejou o crime, pois “você percebe todos os detalhes”. Quem cometeu esse crime cruel cortou uma corda do tamanho exato para amarrar o animal e colocou o nó dentro de um buraco no muro.

A Polícia Civil já iniciou as investigações para apurar o responsável pelo ato bárbaro. E a professora Ivone espera que o culpado seja encontrado para que esse tipo de crime não aconteça mais na pacata cidade de Bodoquena.

Jornal Midiamax