Fundado por ex-atleta de vôlei de praia, projeto revitalizou praça no Pedrossian e realizará torneio

Lucia Oliveira, conhecida como “Lucinha”, já representou o Estado em campeonatos de vôlei de praia, mas foi por causa da filha e do sobrinho, hoje com 21 e 17 anos respectivamente, que a paixão pelo esporte se transformou em acolhimento. O projeto social Areias da Esperança, que ensina vôlei de areia para crianças, adolescentes e […]
| 07/11/2020
- 22:13
Fundado por ex-atleta de vôlei de praia, projeto revitalizou praça no Pedrossian e realizará torneio
Ao todo, 50 alunos participam do projeto. (Foto: Reprodução Facebook - tirada antes da pandemia) - Ao todo, 50 alunos participam do projeto. (Foto: Reprodução Facebook - tirada antes da pande

Lucia Oliveira, conhecida como “Lucinha”, já representou o Estado em campeonatos de vôlei de praia, mas foi por causa da filha e do sobrinho, hoje com 21 e 17 anos respectivamente, que a paixão pelo esporte se transformou em acolhimento. O projeto social Areias da Esperança, que ensina vôlei de areia para crianças, adolescentes e adultos no bairro Maria Aparecida Pedrossian, atende mais de 50 alunos e realizará um torneio na Capital neste domingo (7).

Ao todo serão 16 equipes com seis integrantes cada, sendo quatro em quadra e dois reservas. Além dos alunos do projeto, atletas de cidades do interior também participam, vindos de Terenos, Camapuã, Sidrolândia, São Gabriel do Oeste e Nova Alvorada do Sul. Entre os objetivos do torneio, além da diversão, está o recebimento de brinquedos novos e usados para a campanha de natal. “Realizamos diversos torneios ao longo do ano, feminino, dia das mães, outubro rosa, dia das crianças…”, afirma Lucinha Oliveira.

O projeto

O projeto social surgiu quando Lucinha decidiu treinar a filha Stephanie Oliveira Furtado e o sobrinho Jean Cláudio dos Santos Silva, junto ao professor de vôlei Maurício Dantas. Toda vez que decidiam praticar o esporte, precisavam se deslocar para o Parque das Nações Indígenas ou para a Praça Esportiva . “Aqui no bairro tinha praça com quadra de areia que estava em mau estado de conservação, mas decidimos tentar treinar por aqui mesmo. De repente foram aparecendo mais e mais crianças, que nos viam jogar, até que sentimos a necessidade de criar o projeto”, relata Lucinha.

Fundado por ex-atleta de vôlei de praia, projeto revitalizou praça no Pedrossian e realizará torneio
Turmas são divididas por idade. (Foto: Reprodução/Facebook – tiradas antes da ).

A parceria realizada com a Funesp (Fundação Municipal de Esportes) e Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul) foi fundamental para garantir a manutenção da quadra de areia, uma vez que o projeto, por ser voluntário, não conseguia arcar com salários para os professores. “Depois dessa parceira conseguimos a contratação do professor Maurício, que infelizmente teve que sair, mas foi substituído pela professora Vanessa Borges, que também já atuava no voleibol no Estado”, afirma.

Durante esse período de pandemia, e antes da liberação de acesso à parques e praças, Lucinha escutava dos alunos os pedidos saudosos de volta às quadras. “Explicamos que existem riscos, mas os alunos estão acostumados a jogar. Então, decidimos emprestar as bolas para eles levarem para casa e ficarem jogando com os familiares usando o varal de roupas como rede”, recorda.

O torneio inicia às 8h30 e as partidas serão disputadas na praça dos Amigos Vaguinho e Dalila, localizada na RuaJoão Francisco Damasceno,no parque residencial Maria Aparecida Pedrossian.

Veja também

O deputado federal Dagoberto Nogueira (PSDB) informou nas redes sociais em relação ao falecimento de...

Últimas notícias