Cotidiano

Família é discriminada por motoristas de app: ‘são pesados, R$ 10 a mais’

Ao chamar dois motoristas em aplicativo de mobilidade, uma família passou por momento de humilhação, como mesmo definiram, nesta terça-feira (4), em Campo Grande. A família de Daniel Brites, de 42 anos, teria sido discriminada por conta do peso em duas ocasiões por motoristas de uma mesma plataforma. Daniel contou ao Jornal Midiamax que quando […]

Mariane Chianezi Publicado em 04/02/2020, às 15h42 - Atualizado em 05/02/2020, às 11h38

Foto: Ilustrativa
Foto: Ilustrativa - Foto: Ilustrativa

Ao chamar dois motoristas em aplicativo de mobilidade, uma família passou por momento de humilhação, como mesmo definiram, nesta terça-feira (4), em Campo Grande. A família de Daniel Brites, de 42 anos, teria sido discriminada por conta do peso em duas ocasiões por motoristas de uma mesma plataforma.

Daniel contou ao Jornal Midiamax que quando solicitou a corrida e o motorista aceitou, logo informou sobre o perfil físico da família e que embarcaria com a esposa, de 38 anos, o filho de 10 anos e um bebê de colo.

Quando o motorista chegou ao local e viu a família, se recusou a transportar e cancelou a corrida. Uma outra solicitação foi feita e novamente Daniel informou sobre a condição física da família ao segundo motorista. Quando chegou ao local disse que levaria os passageiros, mas cobraria R$ 10 a mais na corrida de R$ 30 por causa do peso dos passageiros. “Para levar vocês que são pesados é R$ 40 ou não levo”, teria afirmado o motorista.

Após a atitude do rapaz, Daniel afirmou que decidiu cancelar a corrida e solicitar outro aplicativo. Depois de conseguir um melhor atendimento, a família tentou formalizar uma reclamação, mas a plataforma não processava a avaliação.

Em contato com a assessoria de imprensa da InDriver, foi informado que a conduta do motorista será apurada. “Esse tipo de conduta não faz parte das diretrizes da InDriver.  Prezamos sempre pela educação, diálogo e principalmente liberdade entre passageiros e motoristas. É uma lástima que tenha acontecido tal evento, quando a nossa empresa, é inclusiva e totalmente sem nenhum tipo de preconceito”, disse em nota.

Com os nomes e informações das placas dos carros, Daniel afirmou que reportará à plataforma para que uma providência seja tomada.

Jornal Midiamax