Cotidiano

Coronavírus: petshops sentem queda de clientes em meio à pandemia

As clínicas e petshops da Capital já estão sentindo queda de movimentação em razão da pandemia do Coronavírus (Covid-19) em Campo Grande. Muitos dos serviços oferecidos nos locais como banho, consultas e exames, estão sendo feitos em casa e/ou adiados. “Diminuiu sim o movimento porque o pessoal está ficando mais em casa mesmo. Estamos também […]

Renata Fontoura Publicado em 18/03/2020, às 11h08

A rotina de Rick e Ragner mudou após pandemia de Covid-19. (Foto: Arquivo Pessoal/Aline Alves)
A rotina de Rick e Ragner mudou após pandemia de Covid-19. (Foto: Arquivo Pessoal/Aline Alves) - A rotina de Rick e Ragner mudou após pandemia de Covid-19. (Foto: Arquivo Pessoal/Aline Alves)

As clínicas e petshops da Capital já estão sentindo queda de movimentação em razão da pandemia do Coronavírus (Covid-19) em Campo Grande. Muitos dos serviços oferecidos nos locais como banho, consultas e exames, estão sendo feitos em casa e/ou adiados.

“Diminuiu sim o movimento porque o pessoal está ficando mais em casa mesmo. Estamos também controlando o fluxo de gente na clínica. Apesar de tudo isso ser bem ruim, é preciso porque pode se agravar, pode piorar”, afirmou Carolina Guimarães, médica veterinária e proprietária de uma clínica/petshop no centro.

Em outro local, também no centro da Capital, a movimentação de tutores e pets será vista nesta quinta-feira (19) e sexta-feira (20), dias da semana onde muitos banhos são realizados. Mas a recepcionista entrevistada pela reportagem alega que já espera a queda de clientes em ambas as datas e dali em diante.

Já em outro estabelecimento, a realidade ainda continua normal. Mas uma pergunta é sempre a mesma: se o animal vai contrair Coronavírus.

“A maior dúvida é exatamente esta, se o cachorrinho ou gatinho podem ficar doentes. E a resposta é não! Em relação ao animal, nenhum contágio pois eles nao contraem e não transmitem o vírus. O Coronavírus deles é gástrico. Então peço sempre para vacinar cada um com as vacinas v10 ou v8”, orienta Lethícia Ferreira, médica veterinária e também proprietária de um petshop do bairro Carandá Bosque.

E em casa?

Para quem tem em casa cachorros e gatos, já começam a mudar hábitos e criar novas adaptações. Aline Alves é tutora de Rick e Ragner. Segundo ela, a dupla de peludos não está saindo de casa. “Ficam na varanda, no máximo. Nem passeando estão mais”, diz. Mas essa nova rotina trouxe novidades não muito boas para a jovem. “O resultado é a destruição dentro de casa, mas faz parte. Melhor eles com saúde e eu limpando bagunça”, brinca.

Sobre os banhos dos cãezinhos, Aline explica que Ricky terá que ficar um tempo sem. “Ele tem dermatite, então só pode tomar banho com um shampoo especial e, para secar, apenas com aquele secador enorme de petshop. Mas não queremos arriscar e levar ao local”, justifica.

Jornal Midiamax