Cotidiano

Coronavírus: Jovens e adultos de 20 a 49 anos são 65% dos infectados em Campo Grande

O coronavírus tem se espalhado cada vez mais em Campo Grande e os adultos jovens representam a maioria dos infectados. Dados da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) apontam que os pacientes de 20 a 49 anos representam 65% do total de infectados na Capital. Os jovens tem sido a maioria dos contaminados nesta nova fase […]

Mylena Rocha Publicado em 26/11/2020, às 11h34 - Atualizado às 13h44

(Foto: Henrique Arakaki)
(Foto: Henrique Arakaki) - (Foto: Henrique Arakaki)

O coronavírus tem se espalhado cada vez mais em Campo Grande e os adultos jovens representam a maioria dos infectados. Dados da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) apontam que os pacientes de 20 a 49 anos representam 65% do total de infectados na Capital. Os jovens tem sido a maioria dos contaminados nesta nova fase da doença e, apesar de não serem pacientes de risco, eles podem ajudar a contaminar pessoas que são mais suscetíveis a internações ou até a morte por coronavírus. 

Segundo dados da Sesau, até o momento foram 27.718 pessoas contaminadas pelo coronavírus dentro dessa faixa etária. O maior índice está entre adultos jovens de 30 a 39 anos, com 24,88% do total do número de casos. Isso significa que 10.615 pessoas nesta idade contraíram Covid-19 em Campo Grande. 

A segunda maior proporção de casos é entre adultos de 40 a 49 anos, 20,05% dos casos, o equivalente a 8.556 pessoas contaminadas. Logo em seguida estão os jovens de 20 a 29 anos, com 20% na parcela total de casos, o que representa 8.547 infectados pela doença.

A Sesau ressalta que apesar da doença atingir em sua maioria adultos jovens saudáveis, o índice ou eventual necessidade de internação hospitalar é maior entre pessoas com doenças pré-existentes e idosos acima dos 60 anos.

“Dos 254 pacientes internados atualmente em leitos clínicos e de UTI em Campo Grande, 108 possuem mais de 60 anos. Outros 101 pacientes estão na faixa entre 41 a 60 anos, 41 entre 21 a 40 anos, três entre 1 a 20 anos e um menor de 1 ano de idade”.

Os dados sobre os óbitos mostram que os idosos ainda são maioria. Até esta quarta-feira (25), foram registradas 590 mortes de pessoas com mais de 60 anos, ou seja, quase 80% do total de óbitos registrados pela doença. Até o momento a doença já fez 754 vítimas na Capital.

Jornal Midiamax