Confira as regras para reposição de aulas e avaliação de alunos em MS com pandemia

Relatório elaborado pelo Conselho Municipal de Educação, divulgado no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) desta segunda-feira (15), aponta recomendações sobre reposição de aulas, manutenção de atividades não presenciais e formas de avaliação do ano letivo, entre outras, direcionadas às instituições de ensino públicas do município e às particulares que atuam na educação in...
| 15/06/2020
- 15:53
Compra de alimentos para escolas municipais
Estudantes em escola municipal. (Foto: Divulgação, PMCG, Arquivo). - Estudantes em escola municipal. (Foto: Divulgação, PMCG, Arquivo).

Relatório elaborado pelo Conselho Municipal de Educação, divulgado no desta segunda-feira (15), aponta recomendações sobre reposição de aulas, manutenção de atividades não presenciais e formas de avaliação do ano letivo, entre outras, direcionadas às instituições de ensino públicas do município e às particulares que atuam na educação infantil. A íntegra pode ser conferida clicando aqui, a partir da página 12.

Ficam de fora escolas estaduais e privadas que oferecem outras etapas de educação básica. Estas se orientam pelo Conselho Estadual de Educação.

O documento é justificado pelo ‘cenário mundial e brasileiro adverso em consequência da Covid-19’. Pondera, ainda, que há instituições públicas e privadas de ensino que fecharam os estabelecimentos de educação sem ‘formalizar protocolos para manutenção do contato das equipes com famílias e/ou estudantes, enquanto outras propuseram atividades remotas’.

Entre as diretrizes, algumas já foram anunciadas, especialmente pela rede municipal de ensino, como atividades pedagógicas por tecnologias digitais ou não. Esta pode ser uma alternativa para reduzir a reposição de carga horária presencial após o fim da situação de emergência provocada pela .

“Visa permitir que os estudantes mantenham uma rotina básica de atividades escolares, mesmo afastados do ambiente físico da escola, evitando o retrocesso na aprendizagem e a perda do vínculo com a escola, situação que pode levá-lo à evasão e abandono”.

A reposição da carga horária pode ser feita com atividades não presenciais, enquanto as aulas não retornarem, além de presencial, posteriormente. Ainda, ampliação da carga diária com atividades pedagógicas não presenciais, junto com o período de aulas presenciais, quando forem retomadas.

Para estudantes do ensino fundamental e médio, recomenda-se que as avaliações dos estudantes sejam feitas após o retorno das escolas. “Como forma de dar maior fidedignidade ao de aprendizagem e favorecer os estudantes que tiveram dificuldades na realização das atividades pedagógicas não presenciais, observando as diferentes formas, instrumentos e critérios de avaliação”.

*Matéria editada para acréscimo de informação às 8 horas desta terça-feira (16).

 

Veja também

A partir de agora, o próprio paciente pode adquirir diretamente o produto durante 180 dias

Últimas notícias