Cotidiano

Nova metodologia faz taxa de ocupação de UTI dobrar e ir a 6,6% em MS

O boletim epidemiológico do novo coronavírus em MS apresenta, a partir desta quarta-feira (3), uma nova metodologia para considerar a taxa de ocupação de leitos clínicos e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Agora, pacientes que são casos suspeitos – oficialmente notificados – mas que ainda não tiveram resultado positivo passam a incrementar a estatística. […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 03/06/2020, às 12h26 - Atualizado às 17h25

MS tem 770 leitos adultos. (Ilustrativa, Reprodução)
MS tem 770 leitos adultos. (Ilustrativa, Reprodução) - MS tem 770 leitos adultos. (Ilustrativa, Reprodução)

O boletim epidemiológico do novo coronavírus em MS apresenta, a partir desta quarta-feira (3), uma nova metodologia para considerar a taxa de ocupação de leitos clínicos e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Agora, pacientes que são casos suspeitos – oficialmente notificados – mas que ainda não tiveram resultado positivo passam a incrementar a estatística.

Com isso, a taxa de ocupação de leitos públicos de UTI, que até ontem era de 2,8%, agora é de 6,6% em Mato Grosso do Sul. A mudança já havia sido anunciada nesta semana pela secretária adjunta da SES (Secretaria de Estado de Saúde), Crhistine Maymone.

Conforme o boletim, dos 1.808 casos positivos, 808 já se recuperaram e 936 estão em isolamento domiciliar. Até o momento, há 39 internações em MS, sendo 20 em leitos clínicos (10 na rede pública e 7 na rede privada, além de duas internações em São Paulo e uma em Alagoas). Em leitos de UTI, são 19 internações, sendo 11 em leitos do SUS e 7 na rede privada (com um internado no Estado de São Paulo). Uma das internações em leito público é de um paciente de MT.

O boletim também detalha onde ocorrem as internações com base nas macrorregiões. Na rede particular de Campo Grande, são 3 internações clínicas e duas em UTI. Pelo SUS, são 4 em leitos clínicos e 6 em UTI. Em Dourados o número é maior: na rede pública, são 6 em leitos clínicos e 3 em UTI, enquanto na privada são 4 clínicos e 5 em UTI.

Em Três Lagoas, há apenas uma internação, em leito público de UTI, assim como em Corumbá. Em outros Estados, todas os pacientes estão na rede particular, sendo trÊs em leitos clínicos e um na UTI.

Outro detalhamento que passou a constar no boletim é o total de leitos clínicos e de UTI pelo SUS: clínicos, são 670 para adultos e 138 pediátricos, com 232 e 14, respectivamente, em processo de ampliação. A taxa de ocupação nesta modalidade é de 5,7%, referente a 38 pacientes, já considerando os casos suspeitos.

Em relação as UTI pelo SUS, 50 leitos para adultos estão em fase de implantação e, efetivamente existentes, são 220 adultos e 10 infantis, com taxa de ocupação de 6,6%, referente a 15 pacientes.

Jornal Midiamax