Cotidiano

Com máscaras e sem papel, cursinhos se reinventam em retorno de aulas presenciais

As salas de aula não são mais como antes, pelo menos por enquanto. Com uma série de medidas de biossegurança, cursinhos de Campo Grande começam a retornar com as turmas presenciais. “A palavra de ordem é cautela”, destaca Raquel Siufi, que ministra aulas de redação. Para a professora, muitos alunos que estavam desmotivados ganharam uma […]

Gabriel Maymone Publicado em 07/06/2020, às 16h51 - Atualizado em 08/06/2020, às 07h41

Na sala de aula, só entra com máscara e respeitando distanciamento (Imagem: reprodução)
Na sala de aula, só entra com máscara e respeitando distanciamento (Imagem: reprodução) - Na sala de aula, só entra com máscara e respeitando distanciamento (Imagem: reprodução)

As salas de aula não são mais como antes, pelo menos por enquanto. Com uma série de medidas de biossegurança, cursinhos de Campo Grande começam a retornar com as turmas presenciais.

Com máscaras e sem papel, cursinhos se reinventam em retorno de aulas presenciais“A palavra de ordem é cautela”, destaca Raquel Siufi, que ministra aulas de redação. Para a professora, muitos alunos que estavam desmotivados ganharam uma injeção de ânimo com o retorno à sala. “Os vestibulares vão acontecer e muitos precisam dessa motivação que o professor dá”, explica.

No cursinho com mesmo nome, a professora Raquel explica as medidas que contam no plano de biossegurança aprovado pela prefeitura. “Medidas são cumpridas à risca: todos de máscara, distanciamento mínimo, janelas abertas, álcool gel e nada de manipular papel, é tudo só pelo computador”, detalha.

A professora, que atua há 25 anos na área, fala sobre os desafios nos novos tempos. “O maior deles [desafios], com certeza, é usar a máscara, porque a gente fala muito, mas temos que nos adequar. Temos que procurar ser motivacionais para os alunos”, pontua.

As medidas para garantir a segurança dos alunos e professores variam. Em um cursinho preparatório, localizado na Vila Sobrinho, os alunos têm temperatura aferida antes de entrar em sala. Já a professora Isalí, além de outras medidas, adotou o tapete higiênico, que ao pisar, o calçado entra em contato com desinfetante e elimina o vírus. “Tivemos que mudar horário de cursos para atender todas as exigências”, declarou José Leôncio, do cursinho Major Training.

Incertezas

Alguns cursos iniciaram esta semana e ainda estão em fase de avaliação. Devido ao número reduzido de alunos e de todos os cuidados que devem ser seguidos, alguns cursinhos avaliam que podem retornar com aulas somente online.

Jornal Midiamax