Se ainda existem dúvidas sobre a progressão dos casos de coronavírus em Mato Grosso do Sul, elas ficaram um pouco mais claras neste sábado (25), a partir da divulgação do boletim da Secretaria de Estado de Saúde sobre o avanço da Covid-19. Em um intervalo de uma semana, a doença registrou aumento de 64,9% no volume de casos.

Em Campo Grande, o avanço foi ainda maior: 72,9% em apenas 7 dias.

Para se ter uma ideia do que isso representa, basta dizer que Mato Grosso do Sul levou 11 semanas para somar mil casos de coronavírus. Os 2 primeiros casos do Estado, em Campo Grande, foram registrados em 14 de março, a 11ª semana epidemiológica. Em meados de maio, na 22ª semana, o total de infectados era de 1.366.

Na 21ª semana, o Estado registrou 350 novos casos de coronavírus e, na 22ª, foram mais 508 infectados. Na 24ª semana, atingiu-se a marca de 1.103 infectados em um intervalo de 7 dias.

Duas semanas depois, já se anotavam 2.317 infectados no mesmo período, ou seja, o volume dentro do período mais que dobrou.

Desde então, a Covid-19 continuou a crescer, mas em um ritmo que aparentava estar controlado: na 27ª semana do ano, foram mais 2.603 infectados; 3.059 novos infectados na 28ª semana e 3.037 na 29ª.

Na 30ª semana, que se encerra neste sábado, foram somados 5.009 novos infectados, um avanço de 64,9% –com 1.972 novos casos, o que, por sua vez, equivale a praticamente todos os casos confirmados de coronavírus no Estado em 12 semanas (da 11ª à 23ª).

O avanço chamou a atenção, conforme o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, por se fazer presente em todas as regiões. Em Campo Grande, por exemplo, ele destacou que, na 29ª semana epidemiológica (a semana passada), foram totalizados 1.868 casos novos. Nesta 30ª semana, o volume chega a 3.230, ou 72,9%.

Em Dourados, a macrorregião de Saúde vinha apresentando até mesmo decréscimo no avanço da doença, com o número de casos novos reduzindo na 28ª e na 29ª semana. Contudo, na 30ª, novamente houve crescimento: de 782 na semana anterior para 1.079.

O titular da SES também salientou a evolução na macrorregião de Três Lagoas (de 215 casos na 29ª semana para 373 na 30ª) e, principalmente, na macrorregião de Corumbá, onde o número saiu de 172 para 327 novos casos em uma semana. “Praticamente dobrou o número de casos, o que é muito preocupante já que a quantidade de leitos clínicos e de UTI é muito pequena na região”, disse o secretário. A região é formada apenas por Corumbá e Ladário.

Boletim divulgado neste sábado apontou que o Estado totalizou 21.015 casos de coronavírus, com pelo menos 292 mortes confirmadas.