Baixo nível do Rio Correntes por mais de 1h matou 40 quilos de peixe em MS

O curto período em que o rio Correntes ficou sem o grande fluxo de água na última segunda-feira (17), foi o principal fator para que cerca de 40 quilos de peixe, da espécie curimbatá, morressem assoreado. O caso foi alertado pelos ribeirinhos que moram na cidade de Sonora, a 319 quilômetros de Campo Grande. De […]
| 18/08/2020
- 20:04
Baixo nível do Rio Correntes por mais de 1h matou 40 quilos de peixe em MS
Peixes mortos em rio assoreado em Sonora MS. (Imagem: Reprodução) - Peixes mortos em rio assoreado em Sonora MS. (Imagem: Reprodução)

O curto período em que o rio Correntes ficou sem o grande fluxo de água na última segunda-feira (17), foi o principal fator para que cerca de 40 quilos de peixe, da espécie curimbatá, morressem assoreado. O caso foi alertado pelos ribeirinhos que moram na cidade de Sonora, a 319 quilômetros de Campo Grande. De acordo com as informações, o rio perdeu cerca de 70 a 80% de água por pelo menos 1h30. O rio Correntes, que divide os estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, não teve alteração no seu fluxo.

Conforme a PMA ( Ambiental), que esteve vistoriando o local no início da tarde desta terça-feira (18), o episódio aconteceu em um braço do rio Correntes e não propriamente no rio. Cerca de 300 metros ficaram sem receber a quantidade de água que vinham recebendo. O canal que faz essa ligação fica na cidade de Itiquira, em Mato Grosso, estava em suas normalidades durante a visita.

Baixo nível do Rio Correntes por mais de 1h matou 40 quilos de peixe em MS
Cerca de 40 quilos de peixes morreram assoreado. (Foto: Divulgação, PMA)

A denúncia partiu dos moradores ribeirinhas, que explicaram que o motivo para o dano ambiental partiu da usina hidrelétrica Ponte de Pedra, que teria fechado as comportas. Com isso, o nível do rio caiu drasticamente, inclusive secando em alguns pontos, causando a morte de peixes.

A polícia ambiental explicou que uma equipe de Rondonópolis e a Secretaria de Meio Ambiente de Itiquira, também estavam no local vistoriando as condições que levaram a morte dos peixes. As equipes dos dois estados devem se reunir com a para verificar qual a falha operacional teria comprometido o fluxo e causando o problema.

Ibama informou ao Jornal Midiamax que está ciente da situação e enviou uma equipe ao local para apurar o corrido e tomar as providências. Relatórios da PMA serão encaminhados ao Ministério Público e aos órgãos ambientais para avaliação das consequências.

A Usina Hidrelétrica Ponte de Pedra informou a reportagem que um desligamento intempestivo, não previsto, aconteceu no fim da manhã de ontem. O problema causou a redução da vazão vazante do rio Correntes na região de Sonora e Itiquira. De acordo com a usina, a vazão sanitária não foi interrompida e que não houve secamento do rio Correntes.

“Imediatamente, as equipes da usina trabalharam para restituir a vazão do rio Correntes, sendo normalizada a situação e consequentemente a geração de energia. Com a situação já normalizada, a empresa está levantando mais informações para entender os motivos da ocorrência. O Ibama foi informado imediatamente sobre o incidente, assim como as prefeituras e secretarias de meio ambiente de Sonora e Itiquira”.

Veja também

Últimas notícias