Cotidiano

MS Selvagem: Jiboia de 2 metros aparece na varanda da casa de advogado

Jiboia de dois metros foi encontrada por advogado na varanda de casa em Mato Grosso do Sul e solta às margens de rio

Dayene Paz Publicado em 22/06/2020, às 14h03 - Atualizado às 14h56

Jiboia foi solta distante de perímetro urbano. Imagem: Divulgação
Jiboia foi solta distante de perímetro urbano. Imagem: Divulgação - Jiboia foi solta distante de perímetro urbano. Imagem: Divulgação

Um advogado de Anastácio, a 134 quilômetros de Campo Grande, teve uma surpresa na noite deste domingo (21), ao encontrar uma jiboia com quase dois metros na varanda de sua residência. O animal foi capturado pela PMA (Polícia Militar Ambiental).

De acordo com as informações da PMA, a equipe de Aquidauana foi acionada pelo morador, que informava ter encontrado uma cobra em sua casa. No local, os policiais constataram que se tratava de uma serpente da espécie Boa constrictor (jiboia).

A jiboia foi capturada com uso de cambão e colocada em uma caixa de contenção. Como não apresentava ferimentos, foi solta em seguida em uma vegetação às margens do rio Aquidauana, distante da área urbana.

Conforme a PMA, a jiboia é pacífica e não é peçonhenta. Raramente passa de três metros de comprimento. Alimenta-se principalmente de aves, mamíferos pequenos e lagartos grandes. Engole a presa pela cabeça. Vive nas florestas densas da América do Sul e passa a maior parte do tempo nas árvores.

No Brasil, existem duas subespécies: a Boa constrictor constrictor (Forcart, 1960) e a Boa constrictor amarali (Stull, 1932). A primeira é amarelada, de hábitos mais pacíficos e própria da região amazônica e do nordeste. A segunda, jiboia-amarali, pode ser encontrada mais ao sul e sudeste e algumas vezes em regiões mais centrais do país.

É basicamente um animal com hábitos noturnos (o que é verificável por possuir olhos com pupila vertical), ainda que também tenha atividade diurna.

É considerado um animal vivíparo porque, no final da gestação, o embrião recebe os nutrientes necessários do sangue da mãe. A gestação pode levar meio ano, podendo haver de 12 a 64 crias por ninhada, que nascem com cerca de 48 centímetros de comprimento e 75 gramas de peso.

Jornal Midiamax