Cotidiano

VÍDEO: No Lago do Amor, problema não é assoreamento, mas o lixo deixado por visitantes

Diferente do assoreamento que o lago do Parque das Nações Indígenas enfrenta, no Lago do Amor, o problema é outro. Segundo o estudante de Marketing, Erick Rudhiery Albuquerque, de 26 anos, que visitou o local na tarde deste sábado (20), há várias garrafas plásticas e até restos de erva de tereré jogados às margens do […]

Cleber Rabelo Publicado em 20/04/2019, às 21h09

Foto: Leitor
Foto: Leitor - Foto: Leitor

Diferente do assoreamento que o lago do Parque das Nações Indígenas enfrenta, no Lago do Amor, o problema é outro.

Segundo o estudante de Marketing, Erick Rudhiery Albuquerque, de 26 anos, que visitou o local na tarde deste sábado (20), há várias garrafas plásticas e até restos de erva de tereré jogados às margens do lago.

“O que vi foi muito triste, muito lixo em volta do lago, garrafas, plástico e restos de erva de tereré quase dentro da água”, lamenta.

Ainda conforme Rudhiery, não adianta cobrar as autoridades se o problema é a própria população. “Muito se fala em cobrar o poder público, mas infelizmente vemos que muitos da própria população causam o problema”, reclama.

Jornal Midiamax