Sem licitação, emergência vai acelerar compra de material para a Saúde, diz prefeito

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) afirma que o decreto de emergência, após o surto de epidemia da dengue, vai agilizar a compra de material para os postos de saúde da Capital. Nesta situação, não será necessário fazer licitação para a compra de insumos e repor estoque para atender a população. “Você é dispensado de licitação, […]
| 08/03/2019
- 16:32
(Foto: Divulgação/PMCG)
(Foto: Divulgação/PMCG) - (Foto: Divulgação/PMCG)

O prefeito (PSD) afirma que o decreto de emergência, após o surto de epidemia da , vai agilizar a compra de material para os postos de saúde da Capital. Nesta situação, não será necessário fazer licitação para a compra de insumos e repor estoque para atender a população.

“Você é dispensado de licitação, porque os insumos são usados mais frequentemente e essa reposição não pode esperar a formalidade burocrática da lei 8666 [lei de licitações]”, justificou Marquinhos, após reunião nesta sexta-feira (8), no Paço Municipal.

Outro efeito esperado pelo chefe do Executivo é alertar os donos de terrenos baldios tenham mais cuidado com a limpeza de suas propriedades. “Nós estamos numa fase sazonal, já esperada, o índice ultrapassou as notificações diárias e nós temos que estar atentos”, afirmou o prefeito.

Segundo dados da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), entre os dois primeiros meses deste ano, foram notificados cerca de 7.530 casos de dengue, considerando que foram confirmados quase mil casos e uma morte em janeiro.

A Prefeitura ainda destaca no decreto que as chuvas que caíram na cidade atingiram um nível elevado, superando a média que era de 171,4mm e que favoreceu a proliferação.

As consultas nas UPA (Unidade de Pronto Atendimento) aumentaram consideravelmente durante o mês de fevereiro. O decreto também autoriza os órgãos municipais a trabalharem para “reabilitação do cenário”.

Veja também

A orientação é para que os condutores e pedestres tenham atenção redobrada

Últimas notícias