Cotidiano

“Prejuízo fica para o município”, diz diretor da Agetran sobre semáforos quebrados

O prejuízo causado por acidentes de trânsito que destroem semáforos quando não há identificação do condutor fica para o município, informou a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito). Na manhã deste sábado (20), uma caminhonete invadiu a contramão e destruiu o equipamento situado no cruzamento com a Rua Esso. Vídeo gravado pelas câmeras de […]

Danúbia Burema Publicado em 20/04/2019, às 11h40 - Atualizado às 16h34

Equipamento ficou destruído após colisão. Foto Mylena Rocha
Equipamento ficou destruído após colisão. Foto Mylena Rocha - Equipamento ficou destruído após colisão. Foto Mylena Rocha

O prejuízo causado por acidentes de trânsito que destroem semáforos quando não há identificação do condutor fica para o município, informou a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito). Na manhã deste sábado (20), uma caminhonete invadiu a contramão e destruiu o equipamento situado no cruzamento com a Rua Esso.

Vídeo gravado pelas câmeras de segurança de um comércio mostra o acidente, mas ainda não há informação do condutor do veículo. “Quando não tem ocorrência não tem como achar quem causou o dano, aí fica prejuízo para o município”, informou o diretor-presidente da Agetran, Janine de Lima Bruno.

De acordo com ele, quando a ocorrência é devidamente registrada o município aciona o condutor para ressarcir os cofres públicos. Já nos casos em que o motorista deixa o local e não se apresenta depois, o prejuízo é pago pela prefeitura.

Ele informou que acidentes como o deste sábado são comuns na Capital, principalmente durante as madrugadas. Em muitos dos casos, envolvem condutores embriagados.

Para os comerciantes da região da Avenida das Bandeiras, além do prejuízo ficou o temor de que a falta de sinalização contribua para novos acidentes no trecho.

Jornal Midiamax