Cotidiano

Paralisação de terceirizados do Detran-MS avança para segundo dia

Avança para o segundo dia a paralisação de vigilantes patrimoniais do Detran-MS. Nesta terça-feira (16), trabalhadores de mais três cidades – Angélica, Eldorado e Iguatemi – aderiram à paralisação. Assim, o número de grevistas sobe para 70, em dez cidades. Os trabalhadores, que são terceirizado pela empresa Disp Segurança, reivindicam pagamento de salários atrasados, incluindo […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 16/04/2019, às 09h41

Sindicato estima que 70 vigilantes aderiram à paralisação (Foto: Divulgação | Seesvda)
Sindicato estima que 70 vigilantes aderiram à paralisação (Foto: Divulgação | Seesvda) - Sindicato estima que 70 vigilantes aderiram à paralisação (Foto: Divulgação | Seesvda)

Avança para o segundo dia a paralisação de vigilantes patrimoniais do Detran-MS. Nesta terça-feira (16), trabalhadores de mais três cidades – Angélica, Eldorado e Iguatemi – aderiram à paralisação. Assim, o número de grevistas sobe para 70, em dez cidades.

Os trabalhadores, que são terceirizado pela empresa Disp Segurança, reivindicam pagamento de salários atrasados, incluindo o 13º salário e 10 meses de vale-alimentação. Na segunda-feira (15), após várias tentativas de diálogo com empresa e Detran-MS, a categoria decidiu paralisar atividades até que os pagamentos fossem efetivados.

De acordo com o Seesvda-MS (Sindicato dos Empregados em Empresas de Segurança e Vigilância de Dourados e Afins), a empresa Disp Segurança realizou na tarde da segunda-feira o pagamento do salário de fevereiro, após o Detran-MS repassar valores na última sexta-feira (12). Porém, a paralisação deverá continuar.

“Ainda temos o 13º atrasado e o salário de março, sem falar que são dez meses de vale-alimentação que não recebemos, mais ou menos R$ 360 por trabalhador, a cada mês. Então, o pagamento de fevereiro não é suficiente para que a categoria volte às atividades. Queremos trabalhar, mas queremos ser recompensados por isso”, aponta o presidente do Seesvda-MS, Antônio Goes.

Segundo ele, a entidade terá reunião nesta tarde com o MPT (Ministério Público do Trabalho) em Dourados, a fim de colocar o órgão fiscalizador a par da situação. Na manhã da próxima segunda-feira (22), em Campo Grande, a entidade deverá ter a primeira audiência de conciliação com empresa e Detran-MS, no TRT-MS (Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região).

O Jornal Midiamax solicitou posicionamento ao Detran-MS na última sexta-feira (12) e ainda aguarda resposta. Na ocasião, a empresa Disp Segurança também destacou que não comentaria o caso.

Jornal Midiamax