Cotidiano

Igrejas estão livres de cobrança de ICMS nas contas de energia, telefone e internet

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) sancionou a lei proibindo cobrança de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) de templos religiosos de qualquer culto, em Mato Grosso do Sul. Conforme a sanção publicada em Diário Oficial nesta quinta-feira (12), está proibida a cobrança do imposto nas contas de serviços públicos estaduais próprios, delegados, terceirizados...

Renata Volpe Publicado em 12/12/2019, às 07h59

Projeto de lei foi apresentado por Antônio Vaz. (Luciana Nassar, Alems)
Projeto de lei foi apresentado por Antônio Vaz. (Luciana Nassar, Alems) - Projeto de lei foi apresentado por Antônio Vaz. (Luciana Nassar, Alems)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) sancionou a lei proibindo cobrança de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) de templos religiosos de qualquer culto, em Mato Grosso do Sul.

Conforme a sanção publicada em Diário Oficial nesta quinta-feira (12), está proibida a cobrança do imposto nas contas de serviços públicos estaduais próprios, delegados, terceirizados ou privatizados de energia elétrica, telefone e internet de templos religiosos de qualquer culto, desde que o imóvel esteja comprovadamente na propriedade ou posse dos templos.

A vedação se refere aos serviços comprovadamente prestados às igrejas devidamente registrados. Para ter a isenção, ela deve ser requerida, e renovada sempre que houver mudança na titularidade do imóvel, às empresas prestadoras de serviços, pelos templos religiosos, através de seus representantes legais.

Ainda conforme a sanção, templos religiosos em prédios alugados deverão ser comprovados o funcionamento através do contrato de locação, comodato ou cedência, em vigência.

A proposta tramitou na ALMS (Assembleia Legislativa) e foi apresentada pelo deputado Antônio Vaz (Republicanos).

Jornal Midiamax