Cotidiano

Idoso morre na UPA Moreninhas enquanto aguardava transferência para hospital

José Almeida Crisostomo, de 74 anos, morreu por pneumonia bacteriana grave na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Moreninhas, em Campo Grande, no fim da tarde de quinta-feira (20), sem conseguir vaga em um CTI (Centro de Terapia Intensiva) hospitalar, mesmo com determinação da Justiça. A Prefeitura foi notificada por duas vezes pelo Tribunal de Justiça para […]

Kamila Alcântara Publicado em 21/06/2019, às 08h36 - Atualizado em 22/06/2019, às 10h57

Foto: Arquivo
Foto: Arquivo - Foto: Arquivo

José Almeida Crisostomo, de 74 anos, morreu por pneumonia bacteriana grave na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Moreninhas, em Campo Grande, no fim da tarde de quinta-feira (20), sem conseguir vaga em um CTI (Centro de Terapia Intensiva) hospitalar, mesmo com determinação da Justiça.

A Prefeitura foi notificada por duas vezes pelo Tribunal de Justiça para que encaminhasse, com total urgência, o idoso para um hospital, por estar correndo risco de morrer, o que acabou não sendo feito por causa da lotação das unidades hospitalares.

Com o primeiro descumprimento, foi determinada pelo juiz José Henrique Kaster Franco, a separação de R$30 mil para encaminhar o paciente à um hospital particular, já que pela “vaga zero” nas CTIs públicas estava empacada. Segundo o processo, que o Jornal Midiamax teve acesso, a primeira tentativa aconteceu no sábado (15) e a segunda na terça-feira (18), sendo que o médico pediu o encaminhamento no dia 12.

José morava na zona rural de Anhanduí, a 60 km de Campo Grande, quando sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e foi encaminhado pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para UPA. Por ser diabético estava com má circulação, iria perder um dos pés, e contraiu pneumonia bacteriana grave.

Em nota, encaminhada pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), na manhã de ontem (20), o município informou que estaria tentando “cumprir a determinação judicial e tem buscado, incessantemente, uma vaga hospitalar para a continuidade do tratamento”. A secretaria ainda não se posicionou sobre o falecimento do paciente.

*Matéria editada às 9h45 para acréscimo de informação.

Jornal Midiamax