Quem não conhece alguém que esteja gripado ou resfriado no momento que atire o primeiro lenço de papel. Basicamente, há muita gente com sintomas de gripe ou resfriados. Isso ocorre tanto porque os vírus encontram as condições climáticas ideais para se alastrarem, como porque as pessoas não colaboram.

Isso mesmo que você leu. Com a prevenção, é possível evitar essas infecções, mesmo durante o inverno, quando o vírus consegue sobreviver mais tempo no ambiente. Grupos prioritários conseguiram, por exemplo, recorrer à imunização contra a influenza que anualmente o Ministério da Saúde oferece. Mas, quem ficou de fora precisa fazer o dever de casa.

A situação é até mesmo um problema de etiqueta, principalmente nos ambientes de trabalho. “Aqui no trabalho um colega espirrou praticamente em cima de mim e alguns dias depois eu estava gripada. Diferente dele, eu cuidei mais dos espirros, lavei as mãos, usei álcool gel… Fiz o que pude para não deixar ninguém doente”, conta a atendente de telemarketing Luciana Almeida de Souza, de 24 anos.

O que fazer?

A epidemiologista Carla Domingues, que é coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, explica quais são os cuidados que devemos ter para evitar a contaminação.

“Temos que ainda lavar as mãos, fazer todas as ações de higiene, cuidado ao tossir, estar sempre usando lenços descartáveis, sempre lavar as mãos principalmente quando estiver gripado. Assim nós teremos outros mecanismos que poderão proteger, não só contra a influenza, mas também outros vírus respiratórios que também podem ser protegidos utilizando essas ações”, afirma.