Cotidiano

Grávida, moradora pede ajuda para arrumar barraco em favela do Noroeste

Precisando de ajuda para conseguir dar uma moradia melhor para os filhos, Cristiane Vieira de Oliveira, de 29 anos, passou por situação difícil durante a chuva que atingiu Campo Grande. O barraco que ela mora com a filha foi danificado com os ventos e chuva acabou deixando estrutura comprometida com goteiras e infiltrações. A reportagem […]

Mariane Chianezi Publicado em 04/07/2019, às 16h19 - Atualizado em 05/07/2019, às 09h25

None
Cristiane conta que a chuva deixou muitas goteiras no barraco e estrutura está comprometida | Foto: Leonardo de França

Precisando de ajuda para conseguir dar uma moradia melhor para os filhos, Cristiane Vieira de Oliveira, de 29 anos, passou por situação difícil durante a chuva que atingiu Campo Grande. O barraco que ela mora com a filha foi danificado com os ventos e chuva acabou deixando estrutura comprometida com goteiras e infiltrações.

A reportagem do Jornal Midiamax visitou Cristiane, que está grávida de 2 meses. A moradora relatou que se mudou há dois meses para o Noroeste após deixar a casa que vivia no Nova Lima.  Desempregada, ela não tinha mais condições de pagar aluguel e alternativa de cruzar a cidade para viver na favela do Linhão foi a saída.

Quando chegou para morar no aglomerado de barracos, Cristiane conta que foi recolhendo materiais e por conta própria montou seu barraco para viver com a filha mais velha enquanto vive a gestação do terceiro filho.

O pai das crianças ajuda com os mantimentos dos filhos, mas não há possibilidade financeira de ajudar com materiais que alicercei o abrigo. A alternativa para passar a noite de quinta-feira será mandar a filha dormir na casa da avó e ela procurar hospedagem na casa da irmã. Cristiane tem uma segunda filha, mas ela já mora com a avó.

“O que a gente precisa é de material para estruturar o barraco. A gente aqui não tem preguiça, mas a gente não tem condições de comprar. Tudo o que a gente pegou foi no lixo”, disse Cristiane, afirmando que alimentos e roupa ela consegue, mas o que não consegue, é deixar os filhos viverem ‘nessas’ condições.

Para quem quiser e puder ajudar, pode entrar em contato com Cristiane no (067) 99333-9590 ou no (067) 99279-3888.

Jornal Midiamax