Cotidiano

Empresas têm 15 dias para apresentar proposta do ‘Parcão’

As empresas interessadas em parceria para a implantação do primeiro parque público para cães no Parque Ecológico do Sóter têm até o dia 15 de agosto para entregar as propostas na sede da Funesp. A Prefeitura de Campo Grande fez um chamamento público em busca de empresas parceiras que, em troca da implantação, podem fazer […]

Mylena Rocha Publicado em 01/08/2019, às 11h31 - Atualizado às 11h38

Parque Sóter, em Campo Grande. (Foto: Minamar Júnior/Arquivo).
Parque Sóter, em Campo Grande. (Foto: Minamar Júnior/Arquivo). - Parque Sóter, em Campo Grande. (Foto: Minamar Júnior/Arquivo).

As empresas interessadas em parceria para a implantação do primeiro parque público para cães no Parque Ecológico do Sóter têm até o dia 15 de agosto para entregar as propostas na sede da Funesp. A Prefeitura de Campo Grande fez um chamamento público em busca de empresas parceiras que, em troca da implantação, podem fazer campanhas publicitárias no ‘Parcão’.

Pelo projeto, alambrados, brinquedos para cães, lixeiras, bebedouros, bancos, iluminação e instalação de recipientes específicos para destinação de dejetos de animais serão implantados no local para receber os cães sem a guia, agora podendo brincar livremente pelo espaço reservado a eles.  O passeio de cães liberado desde que seja com guia

Em troca, a empresa interessada poderá fixar a sua marca nas placas de identificação e de orientação do Parcão, além de poder produzir campanhas publicitárias com sua marca no local, elaborar placas de entradas do Parque Ecológico Sóter e Parcão e ter sua marca nos endereços eletrônicos e mídias digitais da Funesp.

O Parcão será feito por meio de uma parceria da prefeitura e da iniciativa privada, segundo o diretor-presidente da Funesp (Fundação Municipal do Esporte), Rodrigo Terra. “Estamos em busca de um parceiro para que os animais também se divirtam, socializem e pratiquem atividade física”, comenta.

Desde fevereiro o Parque Sóter tem recebido diariamente os passeios dos cães, por enquanto apenas com coleira e guia. Para organização do espaço, a Funesp segue algumas exigências como o dono recolher as fezes do animal; cada pessoa só pode caminhar com um cachorro por vez; o cão só pode ser levado por pessoas com mais de 18 anos e com coleira e guia (raças como bull terrier, mastim napolitano, doberman, rotweiller, dogo argentino, fila brasileiro, akita, chow chow, cane corso, pitbulls e mestiços destes têm de usar guias curtas, enforcadores de aço e focinheira).

(com informações da Funesp)

Jornal Midiamax