Cotidiano

Délia fala de política, da polêmica dos salários e anuncia investimentos para 2020

  A prefeita de Dourados Délia Razuk, em entrevista ao Mídiamax, confirmou  que a escola estadual Nelson de Araújo está sendo realmente  repassada ao município. Ela também disse que,  “ao contrário do que está sendo entendido, que a comunidade escolar não será prejudicada”. “Nós estamos  recebendo essa unidade escolar e com a migração dos 8 […]

Marcos Morandi Publicado em 18/12/2019, às 08h34 - Atualizado às 18h36

None

A prefeita de Dourados Délia Razuk, em entrevista ao Mídiamax, confirmou  que a escola estadual Nelson de Araújo está sendo realmente  repassada ao município. Ela também disse que,  “ao contrário do que está sendo entendido, que a comunidade escolar não será prejudicada”.

“Nós estamos  recebendo essa unidade escolar e com a migração dos 8 e 9 anos para o Estado vamos ter condições de abrir mais vagas nas séries iniciais”.Segundo ela, nenhuma escola vai ser fechada e com o acordo que está sendo firmado com o Governo do Estado todos terão vagas garantidas.

Ao conversar com a  reportagem do jornal, no último sábado,  logo após a sua filiação ao PTB, Délia Razuk  também falou  de política e das perspectivas para Dourados durante a o próximo ano. Segundo a prefeita, a proposta nesse momento é fortalecer o partido que Dourados tenha uma Câmara forte em 2020.

A respeito de sua eventual candidatura à reeleição, defendida pelo ex-senador Delcídio do Amaral, a prefeita disse que “esse é um assunto que a gente  precisa discutir melhor”. Entretanto, não é uma hipótese que pode ser descartada. “Não tem nada definido, mas isso também não significa que eu não serei candidata”.

Prudente e com o olhar voltado para o diálogo com outras legendas, Délia Razuk também sinalizou para a formação de alianças. “Nós também podemos fazer algumas  tratativas com os partidos  para trabalharmos juntos pelos município. Além disso, o que posso dizer é que  o PTB  vai ter candidatos fortes a altura dessa cidade” comentou.

A respeito da polêmica minuta de projeto de lei encaminhada pelo secretário municipal de Fazenda e que supostamente pedia reajuste salarial no seu próprio salário,  a prefeita esclareceu que a ideia não partiu dela.  “Lá na Prefeitura nós recebemos muitas demandas dos servidores, e, em especial de algumas categorias, como por exemplo, de médicos e de dentistas e que muitas vezes não podem ser atendidas porque são barradas automaticamente  pelo teto do Executivo”.

Segundo ela, por conta desses entraves, alguns  médicos entendem que não podem trabalhar com os salários que o Município oferece e por conta dessa situação  muitos preferem trabalhar em Campo Grande, Rio Brilhante e Caarapó, onde o salário  é mais alto. “E é nesse sentido que estávamos conversando na Câmara com o os vereadores e com os próprio secretário de fazenda e aí foi solicitada uma minuta de um estudo, não de aumento, mas de atualização”.

“O que mandamos para a Câmara foi somente um estudo que foi solicitado. Em nenhum momento eu pedi qualquer tipo de aumento. São categorias que estão insatisfeitas, principalmente os médicos, que têm os seus vencimentos equiparados aos salários da prefeita”, explicou Délia.

Na avaliação da prefeita Délia Razuk, quem tem a prerrogativa de implementar qualquer alteração no teto salarial dos servidores é a Câmara. “Mas não acredito que esse tipo de aumento irá acontecer em meu salário e que se qualquer decisão nesse sentido for tomada, quero deixar bem claro, novamente, que terá o meu veto. Não posso concordar com uma alteração que não pedi e que considero descabida nesse momento”, afirmou a prefeita.

A pensar em 2020, Délia promete que será um ano voltado para o desenvolvimento que Dourados merece.  “Teremos obras na cidade de  mais  30 milhões de investimentos, como a  a recuperação do quadrilátero da região central. Nesse sentido, já temos compromisso com o Governo Estado porque Dourados é uma cidade que contribui  muito em arrecadação”.

A prefeita afirmou que o área da saúde também está em sua lista de preocupações para o próximo ano e que  para resolver algumas deficiências, principalmente no setor hospitalar, estará com contando com a ajuda do Governo do Estado e principalmente do Ministério da Saúde. “Estamos trabalhando hoje com  um ministro que tem comprometimento com o Estado e um carinho muito especial por Dourados.

Ela também aposta as fichas em um convênio que está sendo firmado  com a Fiocruz . “Ainda temos que avançar muito nessa questão. “Além da demanda local, atendemos hoje 33 municípios e não podemos nos esquecer em nenhum momento disso”, ressaltando que essa é uma realidade que causa muito  impacto nas finanças da Prefeitura.

Jornal Midiamax