Cotidiano

Delegado da PF que comandou devassa na Saúde de Dourados pede transferência

O delegado da Polícia Federal Denis Colares de Araújo, responsável pelas investigações da Operação Purificação, na Saúde de Dourados, será removido, a pedido, para Brasília, nos próximos dias. Segundo ele, a transferência foi solicitada por motivos familiares. Apesar da transferência para Brasília, o delegado garantiu que as investigações da operação que levou para a cadeia […]

Marcos Morandi Publicado em 27/12/2019, às 07h54 - Atualizado em 28/12/2019, às 08h15

Remoção foi pleiteada por motivos familiares.(Foto: Divulgação)
Remoção foi pleiteada por motivos familiares.(Foto: Divulgação) - Remoção foi pleiteada por motivos familiares.(Foto: Divulgação)

O delegado da Polícia Federal Denis Colares de Araújo, responsável pelas investigações da Operação Purificação, na Saúde de Dourados, será removido, a pedido, para Brasília, nos próximos dias. Segundo ele, a transferência foi solicitada por motivos familiares.

Apesar da transferência para Brasília, o delegado garantiu que as investigações da operação que levou para a cadeia o ex-secretário de Saúde, Renato Vidigal e o ex-diretor financeiro Rafhael Henrique Torraca Augusto, não serão prejudicadas. Segundo ele, poderá voltar para Dourados para acompanhar o andamento do caso.

As apurações dessa investigação tiveram início a partir de denúncias de fraudes em licitações, com direcionamento a empresas vinculadas a agentes públicos da Secretaria de Saúde.

Em trabalhos de fiscalização, a PF e os auditores da Controladoria Geral da União também detectaram irregularidades em contratações com recursos do SUS na área de alimentação hospitalar, de transporte de pacientes e de uso de software de gestão. Os contratos sob investigação perfazem um total de R$ 3.509.814.

Jornal Midiamax