Cotidiano

Construção de 260 casas recebe investimento de R$ 1 milhão dos cofres públicos

Durante reunião realizada na Governadoria, na tarde desta terça-feira (2), foi anunciado um aporte de recursos no valor de R$ 1.010.647,41 para a conclusão das obras no Residencial Rui Pimentel 1 e 2, em Campo Grande, paralisadas desde 2017. De acordo com as informações do governador Reinaldo Azambuja, as obras tiveram problemas desde a contratação […]

Ana Paula Chuva Publicado em 02/04/2019, às 16h57 - Atualizado em 03/04/2019, às 11h52

Foto: Gabriel Torres
Foto: Gabriel Torres - Foto: Gabriel Torres

Durante reunião realizada na Governadoria, na tarde desta terça-feira (2), foi anunciado um aporte de recursos no valor de R$ 1.010.647,41 para a conclusão das obras no Residencial Rui Pimentel 1 e 2, em Campo Grande, paralisadas desde 2017.

De acordo com as informações do governador Reinaldo Azambuja, as obras tiveram problemas desde a contratação da empreiteira em 2012, sendo paralisadas cinco anos depois com 90% já concluído.

“O conjunto Rui Pimentel 1 e 2 é uma obra que estava paralisada e teve problemas desde a contratação em 2012 e paralisou em 2017. Agora a equipe da Emha e Agehab conseguiu junto com a Caixa Econômica Federal a autorização de um aporte financeiro R$ 1 milhão. A prefeitura e o governo retomam as obras, e em setembro entregaremos as 260 moradias dando opção para esses moradores que estavam na aflição sem expectativa da entrega dessas casas”, disse Reinaldo.

Do valor total, R$ 447.647,41 serão investidos pela Prefeitura da Capital no término de 124 casas. Já o governo do Estado ficará responsável pelas outras 136 residências investindo um total de R$ 563 mil.

Para o prefeito Marquinhos Trad a habitação está entre as principais reclamações da população. “É a restauração de sonhos, a devolução de esperança. O governo, a prefeitura e a câmara de vereadores estão unidos entregando aquilo que a população mais reclama das administrações, a ausência de habitação. Razão porque além da saúde e educação nós estamos preocupados com a habitação. Essas 260 novas moradias vão abrigar quase 1 mil pessoas em Campo Grande”, afirmou.

Marquinhos ainda ressaltou a importância da parceria entre governo e prefeitura. “Estamos trabalhando juntos, sem disputa”, destacou.

O superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Evandro Narciso de Lima, informou que com a retomada das obras do conjunto residencial, não existe mais nenhuma obra parada do programa Minha Casa Minha Vida no Mato Grosso do Sul.

Jornal Midiamax