Cotidiano

Chamadas pelo WhatsApp ajudam na adoção de crianças em MS

A tecnologia está auxiliando em procedimentos de adoção de crianças e adolescentes considerados ‘de difícil colocação’. Só neste ano, em Bataguassu, a 336 km de Campo Grande, dois casos de adoção foram realizados. Se enquadram em casos de difícil colocação, crianças e adolescentes que dificilmente seriam inseridos em um família substituta. Por exemplo, em um […]

Cleber Rabelo Publicado em 11/04/2019, às 14h58

Foto: Reprodução/TJMS
Foto: Reprodução/TJMS - Foto: Reprodução/TJMS

A tecnologia está auxiliando em procedimentos de adoção de crianças e adolescentes considerados ‘de difícil colocação’. Só neste ano, em Bataguassu, a 336 km de Campo Grande, dois casos de adoção foram realizados.

Se enquadram em casos de difícil colocação, crianças e adolescentes que dificilmente seriam inseridos em um família substituta. Por exemplo, em um dos casos, três irmãos foram adotados por uma família de São Paulo (SP). Já no outro, um casal de Niterói (RJ), veio a MS realizar o trâmite para a guarda provisória de um menino de 12 anos. Em ambos os casos, a aproximação foi realizada com a prática da busca ativa, e a aproximação deles, feita através de videochamadas de WhatsApp.

De acordo com o juiz da 2ª vara de Bataguassu, Cezar Fidel Volpi, o município vem se esforçando, com o apoio dos grupos de adoção, para garantir a convivência familiar das crianças e adolescentes que estejam afastadas dos pais biológicos.

Busca Ativa

O recurso é um trabalho que auxilia na busca por adotantes habilitados no CNA (Cadastro Nacional de Adoção) para a adoção de crianças e adolescentes de difícil colocação. Entre os casos, grupos de irmãos que não podem ser separados e crianças acima de 5 anos que tenham deficiências físicas ou mentais.

O auxílio é legítimo, constitucionalmente autorizado e prestado pela sociedade civil ao estado, na busca por habilitados para a adoção.

Jornal Midiamax