Cotidiano

Vítima de atropelamento na Stock Car recebe alta após 13 dias internado

Recebeu alta da Santa Casa, na tarde dessa sexta-feira (31), o motorista Juarez dos Santos Ferreira, de 62 anos, uma das vítimas do acidente automobilístico ocorrido durante a Stock Car em Campo Grande no dia 19 de agosto. O motorista deu entrada no hospital no mesmo dia do acidente com um edema subdural, coágulo sanguíneo […]

Mariana Rodrigues Publicado em 01/09/2018, às 08h28 - Atualizado em 02/09/2018, às 09h35

None

Recebeu alta da Santa Casa, na tarde dessa sexta-feira (31), o motorista Juarez dos Santos Ferreira, de 62 anos, uma das vítimas do acidente automobilístico ocorrido durante a Stock Car em Campo Grande no dia 19 de agosto.

O motorista deu entrada no hospital no mesmo dia do acidente com um edema subdural, coágulo sanguíneo que se formou entre o cérebro e o crânio, a partir do impacto do atropelamento. Ele chegou a passar por cirurgia no cérebro e foi mantido em sedação.

Na ocasião, Juarez perdeu os sentidos devido ao aumento da pressão intracraniana. Nessa sexta-feira, o motorista saiu do hospital caminhando com sua esposa, que veio do Rio Grande do Sul para acompanhá-lo.

Conforme informações da assessoria de imprensa da Santa Casa, a vítima deve ter acompanhamento neuro clínico, e de um fonoaudiólogo e fisioterapeuta, como o caso é recente, não há sequelas evidentes. Ainda conforme a assessoria do hospital, o atendimento rápido foi essencial e refletiu na evolução do paciente.

Acidente

O acidente ocorreu durante a realização da 5ª etapa do Campeonato Brasileiro de Stock Light, dentro da Stock Car, após uma batida envolvendo os pilotos Erick Mayrink, da Ligth Team, e Gabriel Lusquiños, da Motor Tec Competições. A organização da Stock Car proibiu acesso aos pilotos para a maioria da imprensa regional, e limitou as informações envolvendo estado de saúde dos mecânicos atingidos.

Além de Juarez, que seria motorista do caminhão de uma das equipes esportivas, os mecânicos Maurício Massotti e Paulo Pegoraro também receberam atendimento no hospital – que é referência em trauma – após o atropelamento.

Paulo Pegoraro recebeu alta médica após passar por exames e ter o ombro imobilizado. Já Maurício Massotti sofreu uma fratura na tíbia – um dos ossos da perna – mas pedia para apenas ser imobilizado. Ele deverá passar por procedimento cirúrgico no Rio Grande do Sul, para onde embarcou na tarde do domingo. Ambos os casos são considerados sem gravidade.

Matéria atualizada às 10h04

Jornal Midiamax