Cotidiano

Rua do medo: Bandidos tomam conta de Avenida e moradores evitam até uso do celular

Uma das maiores avenidas de Campo Grande tem sido tomada pelo medo nos últimos anos. Comerciantes e moradores vivem à mercê dos bandidos na Av. dos Cafezais, na região do bairro Mário Covas. Com receio de assaltos, a população chega a podar as árvores para não criar sombra na calçada de casa e evita usar […]

Bruna Vasconcelos Publicado em 02/09/2018, às 10h13 - Atualizado em 03/09/2018, às 08h43

Reprodução / Google
Reprodução / Google - Reprodução / Google

Uma das maiores avenidas de Campo Grande tem sido tomada pelo medo nos últimos anos. Comerciantes e moradores vivem à mercê dos bandidos na Av. dos Cafezais, na região do bairro Mário Covas. Com receio de assaltos, a população chega a podar as árvores para não criar sombra na calçada de casa e evita usar o celular nas áreas públicas.

Darlene Santana Barbosa é proprietária de uma farmácia e coleciona 32 furtos e roubos nos últimos meses. Cansada de pedir apoio às Forças de Segurança, a comerciante não sabe mais o que fazer para preservar o estabelecimento.

Se câmeras de monitoramento não intimidam a bandidagem, a comunidade usa a tecnologia ao seu favor. Vizinhos criaram um grupo, intitulado de “Vizinhos em Alerta”, onde constantemente mensagens são trocadas quando algum suspeito se aproxima da região.

“A gente sai para trabalhar e quando volta não sabe se a casa vai estar invadida. A gente precisa podar nossas árvores porque os bandidos ficam embaixo da sombra ou sobem nos galhos para observar o movimento da avenida.”

Conforme a população, somente nos últimos 60 dias, três residências foram invadidas no local. Os dados são tão alarmantes que ninguém se arrisca a ficar em frente às portas quando o sol se põe.

“O que deixa a gente mais indignado é que tem câmeras na rua e não serve pra nada. Fui assaltada 32 vezes e nunca aconteceu nada. Ninguém fica aqui nos pontos de ônibus com medo. É difícil até ir ao mercado.”

Por meio de assessoria de imprensa, a Polícia Militar da Capital afirmou que “realiza o policiamento ostensivo na região através da unidade operacional da área.” Além disso, a corporação ainda frisa que “a região conta com uma viatura específica para policiamento e atendimento das ocorrências.”

A polícia ainda ressalta que “operações policiais são realizadas com frequencia na via citada, mas, diante da demanda apresentada pelo Jornal MidiaMax, será reforçado o policiamento e intensificação das operações no local.”

Jornal Midiamax