Cotidiano

Queimadas aumentam e meteorologia alerta para baixa umidade

Tempo seco favorece os focos de queimadas

Wendy Tonhati Publicado em 03/05/2018, às 08h45 - Atualizado às 11h16

(Jose Cruz/Agência Brasil)
(Jose Cruz/Agência Brasil) - (Jose Cruz/Agência Brasil)

O tempo seco deve permanecer nos próximos dias, em Mato Grosso do Sul. Com isso, agravam-se os problemas de saúde, principalmente nas crianças e idosos, e os focos de queimadas. Nesta quinta-feira (3), o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) emitiu alerta para baixa umidade em grau de perigo potencial.

De acordo com o aviso, a umidade relativa do ar deve variar entre 30% e 20% com risco de incêndios florestais e à saúde. O alerta é válido até a tarde desta quinta-feira. O alerta é válido para as regiões leste, sul, sudoeste e centro-norte de Mato Grosso do Sul.

Conforme o meteorologista Natalio Abrahao Filho, da estação meteorológica Uniderp, desde o começo deste ano, Campo Grande registrou 76 focos de queimadas. Corumbá, que normalmente é líder em queimadas, neste ano, registrou 30 focos.

O líder é Mato Grosso com 3.611 focos. Mato Grosso do Sul é até o momento, o sexto estado brasileiro com maior número de queimadas, com 2.559 focos. No mesmo período do ano passado, segundo o meteorologista, Mato Grosso do Sul, era o quarto com maior número de queimadas (2.559 focos).

Pelos padrões da OMS (Organização Mundial da Saúde), a umidade ideal é de 60%. A entidade recomenda a decretação do estado de atenção quando os índices ficam entre 20% e 30%. Entre 12% e 20%, é recomendado o estado de alerta, e índices inferiores a 12% podem ser considerados estado de emergência sanitária.

Para reduzir as consequências do clima seco, a receita é investir na hidratação, consumindo muitos líquidos e lavando o nariz com soro fisiológico, além de hidratar a pele para evitar dermatites. Com o tempo seco, o período recomendado para a prática de atividades físicas é antes das 10h e após as 17h.

Jornal Midiamax