Cotidiano

Prefeitura vai começar manutenção da iluminação por bairros com mais reclamações

A falta de manutenção na iluminação pública é reclamação de moradores de diversos bairros de Campo Grande. Em matéria publicada nesta semana, leitores do Jornal Midiamax, disseram que há bairros com lâmpadas queimadas há seis anos. A Prefeitura da Capital informou que vai retomar os serviços nesta sexta-feira (18), sendo que inicialmente, serão atendidos os […]

Wendy Tonhati Publicado em 18/05/2018, às 11h05

None

A falta de manutenção na iluminação pública é reclamação de moradores de diversos bairros de Campo Grande. Em matéria publicada nesta semana, leitores do Jornal Midiamax, disseram que há bairros com lâmpadas queimadas há seis anos. A Prefeitura da Capital informou que vai retomar os serviços nesta sexta-feira (18), sendo que inicialmente, serão atendidos os bairros com maior demanda de serviço.

Prefeitura vai começar manutenção da iluminação por bairros com mais reclamações

De acordo com a Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos) entre os bairros a serem atendidos neste primeiro momento estão as vilas Progresso e Carlota e os jardins Noroeste e TV Morena. A expectativa do Município é zerar em até 120 dias a demanda da população.

“Na minha rua mesmo, estamos com a iluminação queimada, há mais de 7 meses. Já estamos cansados de ligar e só ouvimos o atendimento dizer que não tem empresa licitada na região para fazer a troca da lâmpada. A rua escura e, à noite, vira um breu. Ainda pagamos um absurdo de taxa de iluminação pública. Isso é revoltante”, escreveu uma leitora.

Conforme a Prefeitura, o trabalho será feito por bairro, com a ordem de atendimento definida conforme o maior número de reclamações registradas pelo telefone 156 ou aplicativo “Fala, Campo Grande”.

Outra reclamação dos leitores, é com relação às lâmpadas que não ficam acesas e ficam piscando. “Alguém me responda quando ficam oscilando. Fica 15 segundos ligado e 30 apagado de quem é a responsabilidade?”, reclama outra moradora.

O trabalho será feito com as equipes realizando uma “varredura” na região até que todas as lâmpadas estejam funcionando. Na noite anterior, de acordo com a Prefeitura, será feito um mapeamento para identificação de todos os pontos de iluminação que apresentem problemas, observando onde há necessidade de troca de lâmpadas ou mesmo de um interruptor.

Como fazer a reclamação

Primeiramente o morador deve entrar em contato com a central de denúncias da Prefeitura Municipal, no 156, e relatar o problema que está enfrentando com a iluminação pública. Posteriormente, será gerado um cadastro com o CPF (Cadastro de Pessoa Física) do morador e o endereço (com nome da rua, CEP e número) de onde o requerente quer que seja feita a troca de lâmpadas.

Depois de feito o cadastro do morador e informado o endereço de onde está localizado o poste com defeito, o atendente informará o protocolo de atendimento contendo 10 caracteres numéricos.

Por conta disso, no prazo em que achar melhor, a pessoa deverá entrar em contato diretamente com a Ouvidoria no telefone 3314-4639. O funcionário que atender solicitará o protocolo de 10 números da ordem de serviço para verificar o andamento da solicitação.

O morador também pode acessar o site “Fala Campo Grande”, clicando aqui, e verificar o procedimento acessando o cadastro feito através do CPF no 156.

Licitação

As empresas Construtora JLC e Construtora B & C venceram a licitação com a proposta de cobrar R$ 11,1 milhões por ano pelos serviços. Caso os contratos com as empresas sejam prorrogados ao máximo, em cinco anos custarão R$ 55,6 milhões.

As duas empresas contratadas para fazer o serviço terão de disponibilizar três equipes em cada região urbana onde vão trabalhar, totalizando 21 equipes. Elas ficarão responsáveis pela manutenção da iluminação pública da cidade, que tem, aproximadamente, 140 mil lâmpadas. Com está estrutura, será possível trocar até 8 mil lâmpadas por mês, praticamente o dobro do que vem sendo feito nos últimos oitos meses.

As empresas eliminadas durante os trâmites, denunciaram que, em cinco anos, a manutenção da iluminação pública deverá custar R$ 11 milhões a mais para os cofres. TCE-MS (Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul) e MP-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) investigam.

Jornal Midiamax