No 4º dia de greve, caminhoneiros da construção civil fazem carreta pela Capital

Caminhoneiros que atendem à área da construção civil fazem manifestação, nesta quinta-feira (24), em apoio à greve da categoria por conta do valor do diesel. O grupo se concentrou, por volta das 7h30, nos Altos da avenida Afonso Pena, na região do Parque dos Poderes. De acordo com João Paulo Cacho, 33 anos, representante dos […]
| 24/05/2018
- 12:05
No 4º dia de greve, caminhoneiros da construção civil fazem carreta pela Capital

Caminhoneiros que atendem à área da construção civil fazem manifestação, nesta quinta-feira (24), em apoio à greve da categoria por conta do valor do diesel. O grupo se concentrou, por volta das 7h30, nos Altos da avenida Afonso Pena, na região do Parque dos Poderes.

De acordo com João Paulo Cacho, 33 anos, representante dos caminhoneiros, são 17 veículos que vão passar, além da Afonso Pena, pelas avenidas Eduardo Elias Zahran, Costa e Silva e seguir até BR-163 [entre saídas para Três Lagoas e São Paulo], onde a categoria tem se reunido e bloqueado a pista em forma de protesto. Os caminhoneiros pretendem passar pela área central e realizar manifestação na frente da Prefeitura da Capital para chamar a atenção da população.

Os efeitos da já são sentidos e afetam postos de combustíveis, Correios e o aeroporto. Segundo o motorista, o aumento do diesel também atinge os veículos que atendem à construção civil na área urbana e, se os reajustes continuarem, terão que ser repassados à população. A categoria trabalha principalmente com transporte de entulho, materiais de construção e de areeiros.

Greve dos caminhoneiros

A greve dos caminhoneiros continua e entra no quarto dia consecutivo nesta quinta-feira (24). A categoria bloqueou 15 pontos em estradas federais na quarta-feira (23) e o número deve aumentar, segundo o Sindicam-MS (Sindicato dos Caminhoneiros de Mato Grosso do Sul). Os caminhoneiros pedem a adesão de outras categorias, além de ajuda com suprimentos.

Ainda segundo o sindicato, haverá bloqueios em mais 18 cidades: Sidrolândia, Maracaju, Itaporã, Dourados, Rio Brilhante, Nova Alvorada, Bataguassu, Naviraí, Mundo Novo, Paranaíba, Chapadão do Sul, Sonora, Coxim, São Gabriel, Bandeirantes, Aquidauana, Água Clara e Nova Andradina.

Veja também

Um dia depois de atingir o menor nível em oito semanas, o dólar subiu, influenciado...

Últimas notícias