Cotidiano

Nem chuva atrapalha celebração da Paixão de Cristo nos bairros da Capital

Encenação é realizada em várias paróquias

Wendy Tonhati Publicado em 30/03/2018, às 20h56

None

Encenação é realizada em várias paróquias

A chuva, que é registrada em diversos bairros de Campo Grande, não deve atrapalhar as celebrações da Sexta-Feira Santa, neste 30 de março. Em várias paróquias estão programadas procissões nesta tarde. 

Nas Moreninhas, onde é realizada tradicional encenação, os moradores lotaram a igreja e também aguardam sob as marquises da lojas, para se proteger da chuva e assistir à encenação da Paixão de Cristo. A encenação e procissão estava marcada para 17 horas, mas, o caminhão que leva os atores e figurantes ao longo da procissão atolou por conta da chuva. A encenação atrasou cerca de uma hora. 

No Jardim Tarumã, os fiéis da Paróquia Cristo Rei acompanharam a encanação debaixo de guarda chuvas. Na região, a chuva começou no meio da encenação, quando o grupo estava no Jardim Corcovado.  Padres, coroinhas e fiéis permaneceram na chuva até o final e vão assistir à missa molhados. A missa teve início por volta das 17 horas.

Moreninhas

A encenação da Paixão de Cristo, nas Moreninhas, comemora 30 anos em 2018, na Comunidade São Pedro e São Paulo e é a maior de Campo Grande. Com o passar dos anos, segundo a população, a encenação ganhou produção e vários moradores de outros bairros também vão ao local assistir à encenação.

A expectativa de público dos organizadores é de 15 mil pessoas, mas, pode ficar um pouco abaixo, por causa do tempo. Segundo os organizadores, a cada ano, o número de participantes da encenação cresce e, mais figurantes são adicionados.

Nem chuva atrapalha celebração da Paixão de Cristo nos bairros da Capital

Entre os participantes da encenação estão principalmente os jovens. Octávio Augusto do Carmo, 24 anos, é um deles e explica que pessoas de várias religiões acompanham a celebração. “Cristo foi crucificado não só para os católicos. A morte dele aconteceu para todas as pessoas”.

Fernando Wolfe, 19 anos, vai interpretar Jesus Cristo pela segunda vez. “A sensação de representar aquilo que eu acredito é única”. Camila Marassi, 13 anos, vai fazer o papel de Maria e é a terceira vez que ela participa da encenação. “Pedi para fazer papel porque muito bonito. Passei a ler a bíblia para conhecer a história”.

A cozinheira Sibila Boastik assiste à encenação há 18 anos. “É muito bom, tendo fé, ajuda em tudo. A cada ano fica melhor”, diz.

Juliano Loureiro, 28 anos, um dos organizadores e que também participa do grupo de liderança de jovens. Segundo ele, a encenação tem a participação de 45 pessoas, entre personagens e figurantes, mas, são cerca de 70 pessoas trabalhando. O mais novo envolvido na encenação tem dez anos e o mais velho, 28 anos.

Segundo ele, não incentivos para custear a encenação e todo o dinheiro angariado é de doação de fiéis e de vendas feitas na igreja.

Emoção

Entre os moradores, a emoção de acompanhar a procissão é grande. Jorge Conegundes, 60 anos, está na comunidade desde que começou, há 30 anos. Segundo ele, no começo não eram nem cem pessoas que assistiam e a celebração foi crescendo. “É interessante a gente ver a presença de Deus. A cada ano, supera a expectativa. Essa encenação, para os jovens, não fica só no teatro, eles levam para a vida. É uma evangelização”.

Para Alessandra Cornélio Rosa, 40 anos, o que mais marca na encenação é a entrega da juventude. “Para eles, não é uma coisa vaga. Eles se preparam artística e espiritualmente. É uma semente que dá furto ao longo dos anos”.

Claudete Barbosa, 46 anos, que é coordenadora paroquial da catequese, relembra que no começo da encenação, não havia palco e nem caminhão com o som e que leva os figurantes. “Como professora, ajudo indiretamente, ensinando o evangelho”.

Procissões

Santuário Nossa Senhora Perpétuo Socorro – horário: 18h40

(Rua Alexandre Faráh, Rua: Paissandu, Rua. Aporé, Rua: 26 de Agosto e Rua. Alexandre Faráh)

Igreja São Francisco – horário: das 17h às 19h.

Rua 14 de Julho, Rua Euler de Azevedo, Rua Dr. Dolor Ferreira de Andrade. Rua Padre João Crippa, Avenida Rachid Neder e Rua 14 de Julho.

Igreja São José – horário: das 15h40 às 19h.

Evento: Procissão – Local: Rua Dom Aquino, Rua 13 de Maio, Rua Barão do Rio Branco, Rua Pe. João Crippa, retornando pela Rua Dom Aquino e Rua Pedro Celestino.

Comunidade Nossa Senhora da Vitória Paróquia Cristo Rei – horário das 15h às 17h.

Rua Bento José da Silva, Rua Barnabé Honório, Avenida Guter Hans, Avenida Nova Europa, Rua Pampas, Avenida das Coxilhas, Avenida do Progresso, Rua Itabaiana, Rua da Integração, Rua Acaia, Rua Florão, Rua Verde Louro, Rua Modelo, Rua da Beira Mar, Rua Marambaia, Rua da Praia, Avenida Marinha, Avenida Península e Rua dos Recifes.

Igreja Matriz Paróquia Nossa Senhora da Guia – horário das 16h às 17h.

Rua Cabrália Paulista 269, Rua Lagoa da Prata, Rua: Evelina Selingardi e Rua Tristão dos Santos.

Igreja Matriz Senhor do Bonfim

Marques de Herval (matriz Senhor do Bonfim) Nova Bahia, sentido Avenida Aracruz até a Rua Pinhão, 35 (Capela Dom Orione).

Jornal Midiamax