Cotidiano

Na Capital, MEC e educadores discutem currículo único para alunos

Expectativa é que modelo seja implementado até 2019

Maisse Cunha Publicado em 25/01/2018, às 18h41

None

Expectativa é que modelo seja implementado até 2019

​O Secretário de Educação Básica do MEC (Ministério da Educação), Rossieli Soares da Silva, veio à Capital, nesta quinta-feira (25), para apresentar a nova BNCC (Base Nacional Comum Curricular). O encontro que acontece na sede da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) foi realizado a pedido da Secretária de Estado de Educação, Maria Cecília Amendola da Motta.

“A base é o documento mais importante dos últimos 20 anos para a educação básica. Ela estabelece que os alunos, seja do Mato Grosso do Sul, do Amazonas, ou de qualquer outro estado, tenha em comum que deveriam aprender, conforme prevê a Constituição Federal de 1988”, defende Rossieli.

No encontro, onde estavam presentes diversos representantes da SED (Secretaria de Educação), das Coordenadorias Regionais de Educação, além de secretários municipais de educação, o secretário pontuou os benefícios trazidos pela nova base.

“Homologar a Base Nacional agora, significa que, pela primeira vez, vamos ter as avaliações com alinhamento a partir de um currículo, a aquisição de matérias didáticos, melhoria na formação de professores e todas as outras melhorias que esse documento traz para a educação brasileira”, conclui do Secretário do MEC.

De acordo com o secretário, a Base Nacional do Ensino Médio deve ser aprovada ainda em 2018. Conforme Rossieli, com o novo Ensino Médio, “as escolas não devem mais se dedicar apenas a ensinar o conteúdo da física, da matemática, da química, das ciências da natureza. Isso é importante, mas é fundamental que o aluno desenvolva todos os aspectos importantes para que o brasileiro conviva em sociedade, e que ela seja melhor a cada dia”, conclui.

MS

De acordo com a secretária de Estado de Educação, Maria Cecília Amendola da Motta, Mato Grosso do Sul é um dos primeiros estados a fazer um currículo único, juntando estados, município e escolas particulares. “Cada aluno terá, minimamente, direito àquele conteúdo, àquelas competências, àquelas habilidades para se desenvolver”, considera.

Conforme a secretária, a expectativa é que até 2019, a Base Nacional da educação Básica já esteja implementada nas escolas de Mato Grosso do Sul.

Na Capital, MEC e educadores discutem currículo único para alunos

“Às vezes o aluno é estudante da rede municipal, depois vai para a rede estadual, depois vai para escolas particulares, e, com a harmonia desse currículo, ele não vai sofrer tanto na readaptação de uma escola para outro, se for o caso”, conclui a Secretária.

 Compuseram a mesa, além do Secretário do MEC e da chefe da SED, a presidente do Conselho Estadual de Educação, Eva Maria Katayama Negrisolli e a Presidente da Undine (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação), Kalícia de Brito França.

Jornal Midiamax