Campo-grandense enfrenta fila e preço alto onde ainda há gasolina

  Motoristas fazem fila nos postos que ainda têm gasolina e etanol em Campo Grande na noite desta quinta-feira (24), quarto dia da greve dos caminhoneiros. A reportagem entrou em contato com postos de gasolinas que informaram que já fecharam por causa da falta de combustíveis. Em um posto na Rua Joaquim Murtinho, funcionários disseram […]
| 25/05/2018
- 00:17
Campo-grandense enfrenta fila e preço alto onde ainda há gasolina

 

Motoristas fazem fila nos postos que ainda têm gasolina e etanol em Campo Grande na noite desta quinta-feira (24), quarto dia da . A reportagem entrou em contato com postos de gasolinas que informaram que já fecharam por causa da falta de combustíveis.Campo-grandense enfrenta fila e preço alto onde ainda há gasolina

Em um posto na Rua Joaquim Murtinho, funcionários disseram que a gasolina e o etanol acabaram no período da tarde. Na maioria dos postos, a gasolina está sendo vendida na média de R$ 4,25 a R$ 4,29.

Neste posto, havia cinco mil litros de cada combustível à venda nesta quinta, que acabaram durante a manhã e tarde. Em outro posto de gasolina na Vila Jussara, e Bairro Guanandi, a gasolina e o etanol também acabaram ainda no período da tarde.

A expectativa destes postos, se possível, é a do reabastecimento de ao menos 5 mil litros de gasolina, etanol e diesel para venda, ainda durante o período da manhã. A maioria dos postos que ainda não fecharam, só possuem diesel.

O motorista Marcos Aidana está neste momento em uma fila com mais de 30 carros à espera para abastecer no Bairro Aeroporto. Com um carro flex, ele pretende abastecer a álcool que está em R$ 3,18 o litro. “Estou na fila, tem 25 carros na minha frente”, diz Marcos. A reportagem entrou em contato com o Sinpetro-MS (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes MS), mas não conseguiu contato.Na avenida Yokohama, região do Bairro Santo Amaro, um leitor também enviou a foto da fila de motoristas à espera para abastecer a R$ 4,29.

Nesta quinta, dois gerentes de postos de combustível de Campo Grande foram presos nesta após denúncias da população e fiscalização do Procon. Um dos casos o gerente foi preso por vender gasolina com o preço abusivo. No outro, o gerente foi preso por se recusar a vender combustível para vendê-lo com o preço mais caro no dia seguinte.

Na tarde desta quinta-feira (24), o Procon-MS realizou fiscalizações em postos de combustíveis em Campo Grande após receber 30 denúncias sobre preços abusivos na gasolina e etanol nos estabelecimentos.

As denúncias davam conta de que o preço da gasolina ia de R$ 5,25 até R$ 9 o litro, no entanto, postos em que supostamente teriam esses preços não foram encontrados, mas outros estabelecimentos, que vendiam a R$ 4,49 foram autuados em R$ 5 mil.

Veja também

Prefeitura diz em nota que paciente tem registro de viagem ao Paraguai

Últimas notícias