Dois gerentes de postos de combustível são presos após denúncias da população

Dois gerentes de postos de combustível de Campo Grande foram presos nesta quinta-feira (24) após denúncias da população e fiscalização do Procon. Um dos casos o gerente foi preso por vender gasolina com o preço abusivo. No outro, o gerente foi preso por se recusar a vender combustível para vendê-lo com o preço mais caro […]
| 24/05/2018
- 21:08
Dois gerentes de postos de combustível são presos após denúncias da população

Dois gerentes de postos de de Campo Grande foram presos nesta quinta-feira (24) após denúncias da população e fiscalização do Procon. Um dos casos o gerente foi preso por vender gasolina com o preço abusivo. No outro, o gerente foi preso por se recusar a vender combustível para vendê-lo com o preço mais caro no dia seguinte.

Com a falta de combustível em postos pela cidade, alguns estabelecimentos estão aproveitando para elevar o preço por litro. No entanto, a manobra não está deixando moradores conformados.

Na tarde desta quinta-feira (24), o realizou fiscalizações em postos de combustíveis em Campo Grande após receber 30 denúncias sobre preços abusivos na gasolina e etanol nos estabelecimentos.

As denúncias davam conta de que o preço da gasolina ia de R$ 5,25 até R$ 9 o litro, no entanto, postos em que supostamente teriam esses preços não foram encontrados, mas outros estabelecimentos, que vendiam a R$ 4,49 foram autuados em R$ 5 mil.

Conforme o superintendente do Procon, Marcelo Salomão, as equipes percorreram oitos postos de combustíveis na tarde desta quinta-feira (24) e cinco estabelecimentos foram multados.

Em uma das unidades, a gasolina estava sendo vendida por R$ 4,49/litro e o proprietário do local “se enrolou” ao tentar justificar o preço acima do permitido. Segundo Salomão, o preço aceitável, neste momento, seria de R$ 4,20 e no máximo R$ 4,25 o litro.

No posto em questão, as notas fiscais do combustível adquirido e foi contatado que no dia 8 de maio, o empresário comprou, cada litro da distribuidora, por R$ 3,71. Outra compra aconteceu nesta quarta-feira (23), e o litro havia sido comprado por R$ 3,73.

“Até na quarta-feira (23), esse posto de gasolina estava comercializando por R$ 3,99 a gasolina que ele comprou a R$ 3,71 e, nesta quinta-feira (24) ele subiu para R$ 4,49. Não justifica esse aumento repentino”, disse o superintende.

Salomão ainda explicou o Procon não tem o poder de reduzir o preço dos combustíveis “jogados lá em cima” pelos proprietários dos postos, apenas aplica a multa. No entanto garante que a multa aplicada, vai muito além do possível lucro que os postos ganhariam aumentando o preço.

As fiscalizações continuam nesta sexta-feira (25) e, postos que forem flagrados com preços abusivos poderão receber multas de até R$ 50 mil, dependendo da análise jurídica do Procon.

Veja também

Vagas vão desde agente de viagens até capataz na pecuária

Últimas notícias