Cotidiano

‘Encaixotado’ em Goiás, Acelerador Linear deve ser instalado em junho na Capital

O HCAA (Hospital de Câncer Alfredo Abrão) está com instalação de um novo Acelerador Linear, equipamento usado no tratamento de câncer, marcado para o próximo mês de junho, é o que anunciou o deputado federal Geraldo Resende (PSDB), nesta terça-feira (8). O equipamento, ainda novo, não teria sido usado no Estado vizinho. “Pela urgência da […]

Ludyney Moura Publicado em 08/05/2018, às 13h16 - Atualizado em 17/07/2020, às 23h52

None

O HCAA (Hospital de Câncer Alfredo Abrão) está com instalação de um novo Acelerador Linear, equipamento usado no tratamento de câncer, marcado para o próximo mês de junho, é o que anunciou o deputado federal Geraldo Resende (PSDB), nesta terça-feira (8). O equipamento, ainda novo, não teria sido usado no Estado vizinho.

“Pela urgência da necessidade, identificamos a existência de um aparelho que não estava sendo utilizado em Goiás. Junto com o governo daquele Estado e com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), conseguimos a logística de transporte até o HC de Campo Grande”, afirmou Resende.

De acordo com o parlamentar, que visitou ontem, segunda-feira (7), a unidade na Capital, o Hospital concluiu as obras do bunker (local onde se localizam as estruturas responsáveis pela produção, monitoramento e conformação do feixe de radiação do aparelho), e já agendou com um profissional estrangeiro a instalação do Acelerador.

O equipamento foi doado pela Associação de Combate ao Câncer de Goiás ainda em 2016, e deveria ter sido instalado no segundo semestre de 2017.

A instalação de um Acelerador Linear em Mato Grosso do Sul também foi dos principais assuntos na pauta da Operação Sangue Frio, que apurou a existência da suposta ‘Máfia do Câncer’, em 2013.

Geraldo Resende frisou ainda que atualmente o HCAA funciona em antigo prédio e no subsolo e térreo da nova unidade (ao lado da antiga), que tem nove pavimentos e cujas obras estão paralisadas, mas devem ser retomadas em breve.

“O governador (Azambuja) se comprometeu em priorizar a obra do novo Hospital do Câncer de Campo Grande. Será um investimento de R$ 22 milhões, R$ 15 milhões do Tesouro Estadual e outros R$ 7 milhões de responsabilidade da bancada federal”, disse o parlamentar.

Outros dois hospitais na Capital, o HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) e o Humap (Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian) também podem receber novos aceleradores lineares, como fruto de um programa do Governo Federal de expansão da radioterapia no país.

Jornal Midiamax