Cotidiano

Defensor da educação, Humberto Mandetta marcou a vida de alunos, amigos e familiares

Literato, culto, amante da música brasileira e apaixonado pela educação. Assim é descrito o professor Humberto Antônio Mandetta, que faleceu aos 76 anos nesta semana em Campo Grande. Nas redes sociais, ex-alunos, ex-funcionários, amigos e familiares reforçam a importância do advogado que, de tão devoto ao caráter humanista da educação, decidiu abrir na Capital um […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 02/11/2018, às 13h23 - Atualizado às 15h10

Falecido nesta semana, professor Humberto Mandetta foi descrito como defensor da educação (Foto: Reprodução | Facebook)
Falecido nesta semana, professor Humberto Mandetta foi descrito como defensor da educação (Foto: Reprodução | Facebook) - Falecido nesta semana, professor Humberto Mandetta foi descrito como defensor da educação (Foto: Reprodução | Facebook)

Literato, culto, amante da música brasileira e apaixonado pela educação. Assim é descrito o professor Humberto Antônio Mandetta, que faleceu aos 76 anos nesta semana em Campo Grande. Nas redes sociais, ex-alunos, ex-funcionários, amigos e familiares reforçam a importância do advogado que, de tão devoto ao caráter humanista da educação, decidiu abrir na Capital um curso preparatório para concursos que transformou vidas.

Humberto Mandetta deixa quatro filhos e vários netos, além de centenas de amizades construídas ao longo de 76 anos de vida. Por onde passou, defendeu o caráter transformador da educação e marcou vidas por sua devoção à língua portuguesa. Até o fim da vida, abraçou o ofício de professor e foi uma referência como tal.

Defensor da educação, Humberto Mandetta marcou a vida de alunos, amigos e familiares
Amiga e ex-esposa, Milda destaca na história de Humberto Mandetta a paixão pela educação (Foto: Minamar Junior | Midiamax)

A emoção à flor da pele devido à notícia repentina da partida do pai impediu que filhos conversassem com a reportagem. Mas, outros amigos e familiares destacaram o outro lado do professor: Mandetta era apaixonado por MPB, fã de Chico Buarque, literato de primeira e apaixonado pelas letras. Pai, avô e amigo muito amado.

“Ele era apaixonado pela educação e amava a literatura. Durante as aulas, ele fazia declamações, amava poesia e tinha um enorme prazer e vocação pelo ensino. Mesmo após se desligar do curso, continuou lecionando e levando as belezas da língua aos alunos”, comenta a professora Milda de Paula Muniz, amiga e ex-esposa, com quem fundou, em 2005, o Mandetta Cursos e Concurso – uma das escolas preparatórias mais conhecidas e tradicionais da cidade.

Da advocacia à sala de aula

Nascido em Campo Grande, o professor era formado em direito, ofício que exerceu brilhantemente por muitos anos em São Paulo, até formar-se em Letras. De volta a Campo Grande, iniciou a nova carreira que lhe alçou ao posto de docente, a partir do qual tornou-se célebre na cidade.

Defensor da educação, Humberto Mandetta marcou a vida de alunos, amigos e familiares
Sobrinho de Humberto Mandetta, Luciano reforçou a generosidade do educador (Foto: Minamar Junior | Midiamax)

“Ele ajudou muita gente que não tinha como pagar estudos. Era humilde e dedicado, muito generoso. Muitos estudantes tiveram a vida transformadas após ele conceder bolsas, porque ele vibrava com as pessoas que também queriam estudar”, conta o sobrinho Luciano de Barros Mandetta, funcionário público. “Minha aprovação em concurso foi após ter sido aluno dele”, revela.

O pai de Luciano, o economista Onofre Mandetta, de 74 anos, descreve Humberto como o “primo-irmão”. “Crescemos juntos, éramos muito amigos. Ele era mais que primo, era irmão, amigo, companheiro. O Humberto era uma pessoa muito carinhosa, educada. Ele amava poesia. Nas aulas, ele gostava de declamar poemas, lembro dele recitar ‘Navio Negreiro’ [poema de Castro Alves] inteiro para os alunos. Uma pessoa que vai deixar, certamente, muitas lembranças”, diz.

O sepultamento de Humberto Antônio Mandetta será realizado às 14h, no cemitério Parque das Primaveras.

Jornal Midiamax