Cotidiano

Com redução da frota de veículos, usuários de ônibus reclamam de superlotação

A greve dos caminhoneiros continua e os ônibus operam em escala de férias na manhã desta segunda-feira (28). Entre os usuários do transporte de ônibus, a redução da frota já é sentida, ônibus lotados e atrasos estão entre as reclamações.

Mylena Rocha Publicado em 28/05/2018, às 08h11 - Atualizado em 30/05/2018, às 09h04

Usuários de ônibus reclamam de superlotação nesta segunda-feira. (Foto: Mariana Rodrigues)
Usuários de ônibus reclamam de superlotação nesta segunda-feira. (Foto: Mariana Rodrigues) - Usuários de ônibus reclamam de superlotação nesta segunda-feira. (Foto: Mariana Rodrigues)

A greve dos caminhoneiros continua e os ônibus operam em escala de férias na manhã desta segunda-feira (28). Entre os usuários do transporte de ônibus, a redução da frota já é sentida, ônibus lotados e atrasos estão entre as reclamações.

A vendedora Mirelle Nicomedes de Almeida, de 20 anos, conta que os ônibus estavam muito lotados, principalmente no centro, e houve atraso de cerca de 10 minutos. Já o desenhista Rafael Nogueira, de 35 anos, comenta que os veículos estão lotados, mas a situação ainda é melhor do que na semana passada. “Senti um atraso, mas não foi nada grave. Hoje está bastante lotado, mas sexta-feira a situação estava bem pior”, diz.

Entre os usuários de ônibus expressos, os atrasos foram maiores, mas a lotação ainda foi o principal motivo de reclamações. O empilhador João Antenor, de 32 anos, pegou um ônibus expresso do bairro Moreninhas até o centro e sentiu os efeitos da greve no transporte. “Peguei um expresso, estava muito cheio mesmo e ele também atrasou bastante”.

Com 20 veículos a menos nas ruas, o Consórcio Guaicurus recebeu 20 mil litros de combustível na sexta-feira (25) e garante a circulação dos ônibus até a terça-feira (29). Segundo informado pelo Consórcio Guaicurus no domingo (27), os ônibus circulam com 20 veículos a menos e os executivos foram trocados por ônibus regulares.

Alguns postos já começaram a receber combustível em Campo Grande, mas o Consórcio Guaicurus ainda não informou se a empresa já recebeu o reabastecimento ou quando a frota de veículos pode voltar a circular normalmente.

Jornal Midiamax