Cotidiano

BIOMETRIA: no Centro, eleitores ficam mais de 3 horas em fila que chegou ao INSS

Na reta final, eleitores não escapam de passar horas na fila

Wendy Tonhati Publicado em 16/03/2018, às 14h36

None

Na reta final, eleitores não escapam de passar horas na fila

Na reta final do cadastramento biométrico, os eleitores de Campo Grande não escapam de passar horas nas longas filas. Nesta sexta-feira (16) a espera no Memorial da Cultura Apolônio de Carvalho (antigo Fórum), é de mais de três horas para quem está na fila. No momento mais cheio da manhã, a fila dobrou a rua e foi até o INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social), na 26 de Agosto, a quase 400 metros.

No Memorial da Cultura, o técnico judiciário Giovani Gomes Oliva, informou ao Jornal Midiamax que foram aproximadamente 1,2 mil atendimentos somente nesta manhã. A fila no prédio é de cerca de 450 pessoas. Já sobre quem está na fila fora do prédio não há estimativa. A média é de 80 atendimentos a cada dez minutos. 

O Jornal Midiamax também esteve no Fórum Eleitoral, localizado no Parque dos Poderes, onde a demora era de aproximadamente 1h30. Em ambos os postos de atendimento foram instaladas tentas para proteger um pouco a população do sol.

BIOMETRIA: no Centro, eleitores ficam mais de 3 horas em fila que chegou ao INSS

Thalisson Amaral, que está desempregado, contou que chegou na fila às 8 horas e, três horas depois, ainda estava “quase na porta”. “Só continuei por medo de perder o título e ter problemas depois”.

A dona de casa Valkiria Rivolora, chegou por volta das 8h15, com a filha de apenas 4 anos, que não teve com quem deixar. “É muito difícil ficar na fila com uma criança. Quer comer e fica muito agitada”.

O prazo para os eleitores de Campo Grande realizarem o cadastramento biométrico obrigatório termina no próximo domingo (18). Quem não fizer o procedimento terá o título eleitoral cancelado, precisará fazer nova inscrição e pagar multa para se regularizar. Dos 630 mil eleitores, 562 mil já fizeram o cadastramento (88%) do eleitorado. A meta da Justiça Eleitoral era 80% e, com isso, não há previsão de o prazo ser prorrogado.

Jornal Midiamax