Cotidiano

Ações para o Dia Mundial de Combate ao AVC levam prevenção e serviços à população da Capital

Nesta segunda-feira (29) é o Dia Mundial de Combate ao AVC, para conscientizar a população sobre os perigos do Acidente Vascular Cerebral, a capital morena recebe a Campanha Nacional de Combate ao AVC, que está em sua III edição com o tema Reerguendo-se após o AVC. Anualmente 17 milhões de pessoas sofrem um AVC no […]

Tábata Rauschkolb Publicado em 29/10/2018, às 15h23

Ações na Capital do Dia Mundial de Combate ao AVC (Foto:Divulgação)
Ações na Capital do Dia Mundial de Combate ao AVC (Foto:Divulgação) - Ações na Capital do Dia Mundial de Combate ao AVC (Foto:Divulgação)

Nesta segunda-feira (29) é o Dia Mundial de Combate ao AVC, para conscientizar a população sobre os perigos do Acidente Vascular Cerebral, a capital morena recebe a Campanha Nacional de Combate ao AVC, que está em sua III edição com o tema Reerguendo-se após o AVC.

Anualmente 17 milhões de pessoas sofrem um AVC no mundo, desse total, cerca de 6,5 milhões morrem e atualmente, existem 80 milhões de sobreviventes de AVC. Mundialmente, o AVC é a segunda causa de morte e a primeira causa de incapacidade. A cada 5 minutos um brasileiro morre em decorrência dele, isso corresponde a mais de 100 mil mortes no país todos os anos.

De acordo com a Organização Mundial de AVC, uma em cada seis pessoas será vítima do problema ao longo da vida, mas a prevenção correta e a identificação dos sintomas pode evitar até 90% dos casos.

“A prevenção pode evitar 90% dos casos e o reconhecimento dos sinais de alerta do AVC e o rápido tratamento de urgência em um centro de AVC diminui a chance de sequelas. Por isso nossa campanha é de extrema importância para essa conscientização”, explica a neurologista Rebeca Gigante, que faz parte da organização da campanha em Campo Grande.

Uma forma fácil de realizar a rápida identificação dos sintomas do AVC é usar a técnica SAMU: Sorriso, Abraço, Música, Urgente. Peça para a pessoa sorrir, existe assimetria no rosto dela? Faça a pessoa levantar os braços, um lado está mais fraco e com dificuldade? Agora repita uma frase como uma música, a pessoa consegue falar? A fala dela está embaralhada ou arrastada? Caso os sinais acima sejam comprovados, aja rapidamente e busque atendimento médico de emergência imediatamente. Ligue SAMU 192.

As ações da campanha de 2018 começaram no dia 24 de outubro e seguem até esta quarta-feira, dia 31. Nesta segunda será realizado um dia inteiro de combate e prevenção ao AVC no Pátio Central Shopping, com serviços gratuitos para a população até às 17 horas. Na terça-feira os mesmos serviços serão oferecidos no Belmar Fidalgo, das 7h às 9h.

O público contará com: Orientação sobre o AVC, sinais de alerta, fatores de risco e prevenção; orientações sobre as possibilidades de reabilitação; orientações nutricionais e de atividades físicas; verificação de pressão arterial, glicemia, peso e altura; avaliação de risco de AVC; e divulgação do Aplicativo AVC Brasil, um aplicativo gratuito que ajuda no combate e prevenção do AVC.

No dia 31 de outubro, será realizado o encerramento das ações com a realização do I Encontro de Pacientes, familiares e cuidadores de pessoas com AVC, com a presença do Presidente da Associação de pacientes de Cuiabá.

No Encontro serão debatidos os desafios e vitórias enfrentados com o AVC, a ideia é que a experiência seja um estímulo para a criação de uma associação local de pacientes.

O evento é aberto ao público, e acontecerá no Hospital do Coração, às 19h30.

AGENDA – CAMPANHA DE COMBATE AO AVC 2018

29/10 – 8h às 17h – Pátio Central Shopping – Mobilização com a população

30/10 – 7h às 9h – Praça Belmar Fidalgo – Ginástica contra o AVC e mobilização com a população

31/10 – 19h30 – Hospital do Coração – AVC – I Encontro de Pacientes, familiares e cuidadores.

O que é o AVC?

O AVC é a interrupção do fluxo de sangue no cérebro, causando a morte de células na região, pode ser hemorrágico ou isquêmico. O primeiro é caracterizado pelo rompimento do vaso sanguíneo (veia ou artéria), e geralmente se trata de casos mais graves. Já no isquêmico, encontrado em 87% dos casos, ocorre o entupimento total ou parcial do fluxo de sangue no vaso.

*Com informações da assessoria de imprensa

Jornal Midiamax