Procedimento foi interrompido nesta terça-feira

Impasse entra a Santa Casa de Misericórdia de Campo Grande – maior hospital de Campo Grande – e a Prefeitura resultou na suspensão de cirurgias eletivas nesta terça-feira (1º). Serão realizados apenas procedimentos já agendados. 

A decisão foi anunciada no último dia 24, um dia depois, do anúncio, a direção do hospital e representantes da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) se reuniram para discutir o assunto, mas não chegaram a um acordo.

No primeiro semestre de 2017 foram realizadas 7.173 cirurgias eletivas, sendo 1.598 apenas em junho. A assessoria de comunicação do hospital destaca que as cirurgias que já estão agendadas serão realizadas, mas que não serão marcados  novos procedimentos. Sem contrato, maior hospital de Campo Grande suspende cirurgias eletivas

A medida é uma forma de pressionar a Prefeitura em relação à contratualização do hospital. O contrato foi encerrado em dezembro de 2016 e desde então, ao menos oito aditivos foram assinados para manter os serviços e o repasse de R$ 20,2 milhões oriundos do governo Federal, Estado e Município. 

Por exigência da Prefeitura, a Santa Casa também informou que já realizou algumas adaptações solicitadas pela Administração Municipal, como o fim do atendimento a pacientes não regulados no pronto-socorro.

Desde o dia 29 de maio apenas pacientes enviados pela regulação municipal são atendidos no Pronto Socorro, todos com senha emitida pela Sesau.

Questionadas a respeito da contratualização as assessorias de comunicação da Santa Casa e da Sesau confirmam, na semana passada, que uma nova proposta é estudada pelo Município, no entanto até esta terça-feira não houve nenhuma decisão e as cirurgias eletivas permanecem suspensas por tempo indeterminado.